Importação na UE de máquinas usadas na agricultura passa a carecer de inspeção

Importação na UE de máquinas usadas na agricultura passa a carecer de inspeção

[Fonte: SAPO 24]

A importação de máquinas na União Europeia (UE) que tenham sido utilizadas para fins agrícolas ou florestais passa a carecer do acompanhamento de um certificado fitossanitário emitido na origem e de uma inspeção no ponto de entrada.

A informação consta de um ofício hoje divulgado na página da internet da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV).

“À semelhança do que acontece já com inúmeros vegetais e produtos vegetais passou […] a ser exigido o acompanhamento por um certificado fitossanitário emitido pelas autoridades competentes do país de origem […] e a realização de uma inspeção no ponto de entrada”, lê-se na informação da DGAV.

Em causa, segundo o documento, estão máquinas e aparelhos de uso agrícola, hortícola e florestal “para preparação ou trabalho do solo ou para a cultura, rolos para relvados ou para campos de desporto”, bem como máquinas para a colheita de raízes ou tubérculos e para a silvicultura.

Estas normas aplicam-se também a tratores rodoviários para semirreboques e a tratores agrícolas e florestais.

O certificado fitossanitário constitui uma declaração do país expedidor de que as máquinas ou veículos “estão limpos e não contêm solo nem resíduos vegetais, facto que deverá ser igualmente constatado aquando da realização da inspeção fitossanitária à importação”.

De acordo com o mesmo documento, a importação de qualquer produto regulado implica, por parte do importador, uma inscrição num registo oficial, através da plataforma CERTIGES da DGAV.

Por sua vez, a realização da respetiva inspeção fitossanitária à importação “deverá ser solicitada aos serviços competentes da área agrícola ou florestal, conforme a utilização anteriormente dada às máquinas e veículos que se pretendem importar”.

Comente este artigo

O artigo Importação na UE de máquinas usadas na agricultura passa a carecer de inspeção foi publicado originalmente em SAPO 24.

Anterior AgroVida setembro - Os agricultores votam? - Editorial de Teresa Silveira
Próximo VITIS 2020/2021 - Abertura do Período de Candidaturas

Artigos relacionados

Nacional

Produtores de leite dizem que o preço está abaixo do valor do custo – Vídeo

A Associação de Produtores de Leite de Portugal apela ao Governo para não deixar a indústria matar o setor. Em causa estão os preços baixos na produção, […]

Comunicados

Interdição do consumo de carne de vaca nas Cantinas da Universidade de Coimbra é uma posição demagógica e errada.

Foi com estranheza crítica, que se recebeu a notícia de que o Reitor da Universidade de Coimbra pretende interditar o consumo de Carne de Vaca nas Cantinas Universitárias, já no início do próximo ano de 2020 […]

Últimas

The Navigator Company apela aos mais novos para a preservação da floresta e meio ambiente

[Fonte: Gazeta Rural]

A The Navigator Company irá estar presente no próximo dia 22 de junho, […]