ICNF admite novas épocas extraordinárias de caça para controlo do número de javalis

ICNF admite novas épocas extraordinárias de caça para controlo do número de javalis

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) está disponível para criar novas épocas extraordinárias de caça, este ano, para a correção da densidade de javalis, afirmou hoje o presidente da entidade.

“Pomos claramente em cima da mesa haver novas épocas extraordinárias [de caça] para a correção da densidade” da população de javalis, disse o presidente do ICNF, Nuno Banza, que falava aos jornalistas depois de uma reunião com a Confederação Nacional de Agricultura (CNA) sobre prejuízos que estes e outros animais selvagens têm provocado nas culturas da região Centro.

Segundo Nuno Banza, os dois editais de período extraordinário de caça lançados em 2019 foram “positivos”, contabilizando-se cerca de 850 javalis abatidos, sendo que os números de abate “têm vindo a crescer”.

Questionado pela agência Lusa sobre a evolução da densidade das populações de javali em território nacional, o responsável do ICNF referiu que a entidade está no terreno a fazer uma avaliação, mas que não vai ficar “à espera dos resultados para trabalhar”, até porque há outros indicadores, tal como o incremento de queixas, avistamentos e ocorrências com javalis, que indiciam “um aumento da densidade”.

De acordo com Nuno Banza, o ICNF assumiu vários compromissos com a CNA, nomeadamente passar a ser a próprio organismo a fazer a avaliação dos prejuízos causados por espécies cinegéticas, ao contrário do que hoje acontece em que são as associações de caçadores – que depois pagam as indemnizações aos agricultores – a fazer essa avaliação.

“Era uma queixa dos agricultores e legítima”, notou, frisando estar “convicto” de que não será necessária qualquer alteração do ponto de vista legal para passarem a ser os técnicos do ICNF a fazer a avaliação dos prejuízos.

Dos passos que serão dados, o presidente do ICNF destacou ainda um compromisso de, juntamente com a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), encontrar uma solução para o controlo sanitário e de qualidade da carne de caça, para melhorar o seu escoamento, por forma a “garantir um maior interesse pelo produto”, que tem “grande valor comercial”.

Em declarações aos jornalistas, Nuno Banza afirmou também que o ICNF vai assumir a coordenação entre caçadores e agricultores, para garantir uma “plataforma de entendimento” entre os dois setores.

O responsável salientou ainda que todas as medidas a tomar “não podem pôr em causa o equilíbrio ecológico das espécies e habitats”, querendo continuar a “ter animais selvagens e biodiversidade”.

“Nunca iremos avançar com uma medida radical para responder a um dos lados”, vincou.

À saída da reunião, o presidente da CNA, João Dinis, mostrou-se satisfeito com o diálogo com o ICNF, realçando que a confederação saiu “com melhores expectativas” do que aquelas que tinha à entrada.

João Dinis defendeu que tem de ser assegurado “o controlo sanitário dos animais” e uma solução para as indemnizações dos agricultores lesados, considerando que o Estado deveria intervir diretamente nessa situação.

Segundo o dirigente, há associados da CNA com prejuízos de 20 e 25 mil euros por causa de espécies cinegéticas, considerando que os agricultores “não podem continuar a estar condenados a alimentar os animais selvagens à custa das suas explorações”.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Anterior Workshop Poda e Enxertia - 1 de fevereiro - Montemor-o-Novo
Próximo João Almeida: “Não vejo problema nenhum em dialogar com o Governo”

Artigos relacionados

Últimas

Agri-Fish Council – Focus on the Discussion on Post 2020 CAP reform package

In a nutshell: —> The Finnish Presidency‘s intention is to pursue the technical discussion & the two forthcoming ‘Agriculture and Fisheries Council’ meetings in November and December to discuss the higher environmental ambition of the CAP and the New Delivery Model.  […]

Dossiers

Las almendras suben por primera vez en dos meses

Cambio de tendencia en las cotizaciones de las almendras, que han anotado las primeras subidas tras dos meses de bajadas. Desde principios del mes de agosto los precios han estado descendiendo semana tras semana. […]

Nacional

Lince-ibérico pode deixar de ser espécie ameaçada dentro de décadas

O lince-ibérico passou de criticamente ameaçado para ameaçado de extinção, poderá ser espécie vulnerável em poucos anos e perder o estatuto de ameaçado dentro de décadas, […]