Helicóptero cai em Valongo durante combate a incêndio e faz um morto

Helicóptero cai em Valongo durante combate a incêndio e faz um morto

Um helicóptero da AFOCELCA caiu esta quinta-feira em Sobrado, no concelho de Valongo, no Porto. A aeronave estava no combate a um incêndio que deflagrou por volta das 16:05 naquela zona. O SAPO24 apurou que o piloto, um militar, morreu no acidente.

Noel Ferreira era piloto da Força Aérea, pertencia à Esquadra 751, no Montijo, confirmou fonte daquela estrutura militar ao SAPO24. O piloto estava a colaborar com a AFOCELCA, que “expressa o mais profundo pesar à família e amigos da vítima”.

A AFOCELCA, do grupo The Navigator Company, está ao serviço da Proteção Civil, não estando a aeronave em causa a combater um incêndio numa propriedade da empresa do papel, mas numa zona definida pelas autoridades nacionais, explicou ao SAPO24 fonte oficial da AFOCELCA.

A mesma fonte indica que “as circunstâncias em que ocorreu o acidente estão a ser apuradas pelas autoridades competentes”.

As autoridades deram inicialmente conta de que a bordo seguiam seis pessoas, não sabendo na altura o estado de todas elas. Mas o comandante distrital da proteção civil do Porto explicou já à agência Lusa que o piloto era o único tripulante do helicóptero.

“A brigada de operacionais de combate a incêndio estaria fora do helicóptero, teriam ficado em solo”, adiantou Carlos Alves à agência.

Segundo informação da Proteção Civil, na página oficial consultada pelas 17:20, no combate às chamas estavam 65 operacionais, apoiados por 17 viaturas e dois meios aéreos.

A AFOCELCA é um agrupamento complementar de empresas da ALTRI e da The Navigator Company que com uma estrutura profissional tem por missão apoiar o combate aos incêndios florestais em todo o país. A AFOCELCA tem mais de 85% das suas intervenções apoio o combate a incêndios em propriedades particulares que não pertencem nem à ALTRI nem à Navigator, como foi aliás este caso, explica fonte da AFOCELCA.

Este é o segundo incidente com um helicóptero do dispositivo de combate a incêndios em dois dias. Esta quarta-feira, uma outra aeronave caiu quando descolava do Centro de Meios Aéreos na Pampilhosa da Serra (distrito de Coimbra), o que causou um ferido ligeiro.

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Fogos em Águeda e Albergaria-a-Velha levam a corte de estradas
Próximo Eleições: CAP defende que agricultura está “pouco presente” na agenda política

Artigos relacionados

Últimas

Figueira da Foz quer antecipar em dois anos recolha obrigatória de biorresíduos

Em informação enviada à agência Lusa, a Câmara Municipal explica que o projeto de recolha seletiva dos resíduos orgânicos biodegradáveis – […]

Nacional

Ministério do Ambiente ganha tutela da floresta

[Fonte: Jornal de Negócios] As florestas deixam a alçada do Ministério da Agricultura para passarem para a do Ambiente, […]

Opinião

Alterações Climáticas – Quid pro cuo? – João Dinis

Sim, atravessamos um tempo em que “aceleram” alterações climáticas com várias (más) consequências. […]