Grupo Luís Vicente promove o consumo de fruta com a marca Maria

Grupo Luís Vicente promove o consumo de fruta com a marca Maria

A propósito do Dia Mundial da Alimentação, que se celebra a 16 de Outubro e ao longo de toda a semana, o Grupo Luís Vicente emitiu uma nota para «alertar os portugueses para a necessidade urgente da mudança de hábitos no que concerne à sua alimentação diária». Esta nota assinala que, segundo um estudo da Eurostat, «apesar de 80% dos portugueses consumirem fruta todos os dias, a maioria come apenas uma peça de fruta diária, o que está muito aquém das três a cinco peças recomendadas pela Organização Mundial de Saúde».

A isto juntam-se outros dados destacados pelo Grupo Luís Vicente, através da sua marca de fruta, Maria. A Fundação Portuguesa de Cardiologia considera que «as estatísticas mostram que, a nível nacional, quase metade da população apresenta excesso de peso e que perto de um milhão de adultos sofre de obesidade». Por outro lado, um estudo conjunto da Associação Portuguesa Contra Obesidade Infantil (Apcoi), do Instituto de Saúde Ambiental (Isamb) e da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) indica que «32% das crianças apresenta excesso de peso e 14% obesidade infantil» – os dados deste estudo foram recolhidos nas escolas participantes no projecto “Heróis da fruta” no ano lectivo 2017/2018.

A propósito destes dados, Miguel Barbosa, director geral do Grupo Luís Vicente, afirma que «enquanto grupo português de produção e comercialização de fruta, é nossa missão alertar para os benefícios de uma alimentação saudável, na qual a fruta é uma peça fundamental». «A Maria é a nossa nova marca para a fruta portuguesa, com a qual vamos desenvolver, ao longo dos próximos meses, iniciativas para promover o maior consumo de fruta, começando com este alerta no Dia Mundial da Alimentação.»

Durante a semana dedicada a celebrar o Dia da Alimentação, a marca Maria irá dedicar-se aos temas “alimentação saudável”, “responsabilidade social” e “sustentabilidade”, «com o objectivo de colocar os portugueses a consumir mais fruta», explica o comunicado. O comunicado realça que o Grupo Luís Vicente é parceiro da Apcoi, entidade que promove o programa Heróis da Fruta, através do qual «faz um excelente trabalho junto das escolas, impactando diariamente mais de 50.000 crianças, promovendo o consumo de frutas desde os primeiros anos».

Este comunicado menciona ainda que, nas palavras da nutricionista Zélia Santos, presidente do Conselho Executivo do Movimento 2020 – um projecto dedicado à saúde alimentar dos portugueses –, «a mudança de hábitos de vida, orçamentos familiares reduzidos, horários curtos e o stress diário levam-nos a recorrer a refeições menos saudáveis». Assim, a nutricionista, visando promover o aumento do consumo diário de fruta, deixa um apelo: «basta colocar todos os dias na mala uma maçã e/ou uma pêra, assim como não o esquecer nas lancheiras para as escolas».

A concluir, é referido que, «além de benefícios para a saúde, o consumo de fruta portuguesa está também a apoiar a economia e agricultura nacionais». De acordo com o comunicado, a gama Maria é composta por «fruta 100% portuguesa», tendo como principais frutas a pêra Rocha, a maçã Gala, o pêssego, a nectarina, a ameixa, o dióspiro e o marmelo.

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas, Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior Cotações – Ovinos e Caprinos – Informação Semanal – 7 a 13 Outubro 2019
Próximo Obrigatoriedade na aplicação de medidas fitossanitárias em citrinos

Artigos relacionados

Últimas

ONU aconselha dieta vegetariana para combater alterações climáticas

Há tipos de alimentação que favorecem as alterações climáticas e outros que podem ajudar a reduzir as vulnerabilidades de tais mudanças, […]

Últimas

Centenas de leitões mortos num incêndio numa pecuária em Ferreira do Alentejo

Algumas centenas de leitões morreram queimados na sequência de um incêndio ocorrido hoje numa pecuária, no Monte Cardim, junto a Ferreira do Alentejo, no distrito de Beja, disse fonte da […]

Sugeridas

Governo quer travar acidentes com javalis mas não revê regras da caça

Agricultores queixam-se do aumento de área de plantações de milho dizimadas e caçadores querem formar grupos com mais de 10 homens e 20 cães por montaria para deter praga. […]