GPP promove reflexão sobre o tema do abastecimento alimentar

GPP promove reflexão sobre o tema do abastecimento alimentar

Tendo por objetivo contribuir para a reflexão sobre o tema do Abastecimento alimentar, o GPP promoveu o respetivo debate em sessão transmitida em livestreaming no dia 11 de novembro

Tendo por objetivo contribuir para a reflexão sobre o tema do abastecimento alimentar, o GPP promoveu o debate em torno da 20ª edição da publicação CULTIVAR – Cadernos de Análise e Prospetiva, com o tema “Abastecimento alimentar: que fronteiras?”, em sessão transmitida em livestreaming no seu canal YouTube, no dia 11 de novembro de 2020.

A sessão, moderada por Alexandra Prado Coelho, jornalista do Público, contou com a participação de convidados com distintas visões face ao tema em análise: Abílio Dias Fernandes (economista), Carlos Guimarães Pinto (economista), Alfredo Cunhal Sendim (agricultor) e Carlos Neves (agricultor).

Foi sublinhada a relevância da questão da alimentação em conjunturas de crise, nomeadamente na atual situação pandémica, destacando-se o papel das políticas públicas na segurança alimentar, tanto no sentido do abastecimento, como no da qualidade alimentar. A PAC teve, neste âmbito, uma evolução marcada ao longo do tempo, refletindo a importância da produção de bens públicos e tendo em consideração objetivos estratégicos, reconhecidos designadamente no Pacto Ecológico (Green Deal) e na Estratégia do Prado ao Prato (Farm to Fork). Salientou-se também o facto de os mercados e a cadeia alimentar terem funcionado e o abastecimento à população ter sido assegurado face aos desafios da situação de crise.

O tema foi abordado a partir de posições particularmente distintas, mas foi também possível estabelecer um diálogo muito vivo e interessante entre essas posições: por um lado, uma visão que privilegia a produção de alimentos na ótica da eficácia, especialização e produção em maior escala e que permite a disponibilidade de alimentos mais acessíveis e o abastecimento à população de forma mais abrangente; por outro lado, uma visão da produção alimentar que dá particular atenção à questão da autossuficiência e à proteção dos ecossistemas.

A questão deste equilíbrio a estabelecer entre uma produção de alimentos a preços acessíveis e uma produção com valor acrescentado com maiores custos, esteve sempre presente durante o debate, assim como o problema da opção entre modelos baseados na sustentabilidade dos recursos ou nos resultados da economia, concluindo-se que não é possível deixar de atender a estes diversos aspetos e que é precisamente essa complexidade que é difícil de gerir.

Esta iniciativa integra as sessões de debate promovidas pelo GPP, no âmbito da edição da publicação Cultivar – Cadernos de Análise e Prospetiva

Live-stream: Sessão de apresentação da CULTIVAR – “Abastecimento alimentar: que fronteiras?”

Comente este artigo
Anterior Cogumelos com cheiro a café, a paixão de Jacquemin
Próximo Nobreza da madeira portuguesa cativa mercado árabe

Artigos relacionados

Notícias florestas

Incêndios: Dispositivo de combate tem este ano “maior número de sempre” de operacionais

O dispositivo de combate a incêndios rurais vai contar este ano “com o maior número de sempre” de operacionais envolvidos, estando previstos para os meses mais críticos […]

Notícias mercados

Hemisfério Sul com mais volume de citrinos na campanha de 2021

A previsão preliminar da Organização Mundial dos Citrinos (WCO) para a campanha de 2021 do Hemisfério Sul é de um total de 22,7 milhões de toneladas de citrinos, o que representa […]

Eventos

Ano Internacional da Fitossanidade – 2, 9 e 16 de dezembro

A UTAD dedica quatro grandes momentos de ciência num grande Ciclo de Conferências sob o tema DESAFIOS E OPORTUNIDADES NO SETOR AGRÁRIO. […]