GP PCP: pergunta ao Governo sobre a construção de uma nova barragem no nordeste algarvio

GP PCP: pergunta ao Governo sobre a construção de uma nova barragem no nordeste algarvio

Em julho de 2016, o Grupo Parlamentar do PCP questionou o Ministério do Ambiente sobre a disponibilidade de água nas barragens de Odeleite e de Beliche e a capacidade de este sistema garantir, numa situação de seca prolongada, o abastecimento de água às populações e às atividades agrícolas e pecuárias (pergunta n.º 4402/XIII/2.ª). Colocou ainda a questão da eventual construção da barragem da Foupana, que, devidamente articulada e interligada com o sistema Odeleite-Beliche, permitisse satisfazer as necessidades de água para abastecimento público e para a agricultura e pecuária no nordeste algarvio, mesmo numa situação de seca prolongada.

Na sua resposta, o Ministério do Ambiente informou que não se encontrava em curso qualquer processo de avaliação ou de decisão quanto à eventual construção de uma barragem na Foupana e que «face ao recente reforço das origens de água para abastecimento público, decorrente da construção da barragem de Odelouca e da interligação dos subsistemas de barlavento e sotavento, às disponibilidades das origens de água superficiais e subterrâneas, aos consumos atuais e sua evolução no futuro próximo, considera-se que estão garantidas as necessidades de água para os diferentes usos na região do Algarve», acrescentando que «mantém-se um acompanhamento pormenorizado da situação na região, nomeadamente através da monitorização quantitativa e qualitativa dos recursos hídricos e da evolução das necessidades de água para as diferentes atividades socioeconómicas».

Entretanto, no último ano, a situação de seca no nordeste algarvio agravou-se, traduzindo-se na escassez de água para as atividades agrícola e pecuária nos concelhos de Alcoutim e de Castro Marim. Apesar de as barragens de Odeleite e de Beliche estarem com níveis razoáveis, a água aí armazenada só é utilizável pelas explorações agrícolas localizadas a sul destas barragens.

A situação de seca nos concelhos do nordeste algarvio tem consequências severas para a sustentabilidade das atividades agrícola e pecuária que aí se desenvolvem. Estes concelhos enfrentam, há várias décadas, um processo de desertificação e despovoamento, que urge contrariar. A construção de uma nova barragem nesta região contribuiria para a dinamização das atividades agrícola e pecuária e, consequentemente, para o desenvolvimento económico e a fixação da população.

Assim, o Grupo Parlamentar do PCP, por intermédio do deputado Paulo Sá eleito pelo Algarve, questionou o Ministro do Ambiente, dirigindo-lhe as seguintes perguntas:

  1. Como avalia o Governo o impacto da escassez de água nas atividades agrícola e pecuária nos concelhos de Alcoutim e de Castro Marim?
  2. Tendo em conta a evolução da situação no nordeste algarvio, afetado severamente pela seca, equaciona o Governo a construção de uma nova barragem nesta região, a qual, reforçando a capacidade de armazenamento de água para abastecimento público do sistema Odeleite-Beliche, garantisse a disponibilidade de água para fins agrícolas e para a criação de animais em Alcoutim, Castro Marim e concelhos limítrofes?

Consulte a Pergunta_Nova barragem no nordeste algarvio

Comente este artigo
Anterior Pagamento específico por superfície ao tomate para transformação
Próximo Portugal e a produção de leite - até quando ficaremos na cauda da Europa?

Artigos relacionados

Últimas

Dois terços da área de plantação de fruta da UE estão concentrados em três países

Cerca de dois terços da área de plantação de fruta da União Europeia estão concentrados em três países. De acordo com os dados avançados pelo Eurostat, […]

Nacional

Taxa de sucesso de Portugal no Horizonte 2020 supera média da UE

Portugal captou em seis anos 885 milhões de euros de financiamento ao abrigo do programa comunitário de Investigação & Inovação Horizonte 2020, […]

Últimas

Adjudicada construção da Rede de Rega da Várzea de Odeleite

Já foi adjudicada, na reunião de câmara de dia 31 de julho, a construção da Rede de Rega da Várzea de Odeleite, […]