Governo disponibiliza apoios para agricultores de Mação, Sertã e Vila de Rei

Governo disponibiliza apoios para agricultores de Mação, Sertã e Vila de Rei

Estão já disponíveis apoios para os agricultores afetados pelo incêndio que percorreu o território dos concelhos de Mação, Sertã e Vila de Rei entre os dias 20 e 23 de julho, depois de ter sido hoje publicado em Diário da República o Despacho n.º 6938-A/2019, que reconhece este incêndio como catástrofe natural.

Este Despacho permite o acionamento da Medida 6.2.2. Restabelecimento do Potencial Produtivo, no âmbito do PDR 2020, através da qual o Governo disponibiliza 500 mil euros para atribuir aos agricultores de acordo com os seguintes níveis de apoio:

  • 100% para prejuízos até 5.000 euros;
  • 85% para prejuízos entre 5.000 e 50.000 euros;
  • 50% para prejuízos entre 50.000 e 800.000 euros.

Esta medida aplica-se a agricultores que sofreram prejuízos no potencial produtivo das suas explorações e destina-se a financiar perdas em culturas permanentes (vinha, olival e pomar), efetivos pecuários, equipamentos e maquinaria e instalações de apoio à atividade agrícola. Nesta situação estão os agricultores das Freguesias da Fundada e de São João do Peso, no Município de Vila de Rei, e das Freguesias de Amêndoa e de Cardigos, no Município de Mação, freguesias cujas áreas agrícolas e florestais ardidas ultrapassam dos 30% do seu território.

Para agricultores titulares de explorações situadas na Freguesia do Carvoeiro, no Município de Mação; na União de Freguesias da Cumeada e Marmeleiro e na União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais, no Município da Sertã; e na Freguesia de Vila de Rei, no Município de Vila de Rei; freguesias cujas áreas agrícolas e florestais ardidas ficam aquém dos 30% do seu território, está disponível uma verba de 100 mil euros. A dotação global disponível, no valor de 600 mil euros, poderá ser reforçada, caso se verifique essa necessidade.

Adicionalmente, o Governo instalou, com o apoio do Município de Vila de Rei, uma base logística para fornecimento de alimentação animal. Estão disponíveis feno e açúcar (para alimentar abelhas), fornecidos pelo Ministério da Agricultura, além de diversos tipos de rações, solidariamente fornecidos por empresas da fileira.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Incêndios: Dos 18 mil que ocorreram nos últimos dois anos "só dois são de grande dimensão", diz Governo
Próximo Violento incêndio em zona florestal mobiliza 12 meios aéreos na Pampilhosa da Serra

Artigos relacionados

Blogs

THE EU TRADE POLICY REVIEW – MORE OF THE SAME?

The Commission has just published a Communication on the EU Trade Policy Review.
The fundamental approach to trade issues is kept unchanged. […]

Notícias PAC pós 2020

Plano Estratégico da PAC 2023-2027 – Consulta alargada aberta até 11 de dezembro

Encontra-se aberto o processo de consulta alargada do Plano Estratégico de Portugal no âmbito da Política Agrícola Comum, para o período 2023-2027. Convida-se à […]

Sugeridas

Empresas florestais reclamam inventários de cinco em cinco anos

A Associação Nacional de Empresas Florestais considera fundamental encurtar para cinco anos o prazo de atualização do Inventário Florestal Nacional, sem o qual diz não ser possível gerir ou planear estrategicamente o setor. […]