Governo desenvolve ‘app’ e guia sobre vinhos certificados do arquipélago

Governo desenvolve ‘app’ e guia sobre vinhos certificados do arquipélago

O Governo dos Açores vai desenvolver uma aplicação para ‘smartphones’ sobre os vinhos certificados da região, a par de um guia bilingue para distribuição na restauração.

O secretário regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, referiu, citado em nota do gabinete de imprensa do executivo açoriano, que estes instrumentos visam “reforçar os mecanismos de controlo e fiscalização da autenticidade dos vinhos dos Açores”.

O titular da pasta da Agricultura, que falava à margem de uma visita à Adega e Cooperativa da Ilha Graciosa, em Santa Cruz, onde se reuniu com a direção, disse que o objetivo é avançar “para a dimensão da comunicação direta com os consumidores” e que a ‘app’ para ‘smartphone’ “permitirá garantir aos consumidores a autenticidade dos vinhos dos Açores”.

A região possui 37 vinhos certificados, 14 produtores, três castas nobres e três regiões demarcadas: Biscoitos (na ilha Terceira), Graciosa e Pico.

Na segunda-feira, em declarações à agência Lusa, o ex-presidente da Comissão Vitivinícola Regional dos Açores (CVR/Açores), Paulo Machado, disse haver agentes no mercado que estão a aproveitar a “boa imagem” dos vinhos brancos e tintos do arquipélago para promoverem uma “concorrência desleal”.

Para o antigo responsável pela CVR/Açores, a fiscalização no mercado tem de ser “muito apertada e contínua”, enquanto a informação também deve chegar aos consumidores e aos vendedores destes vinhos, passando-se a “mensagem correta aos clientes”.

“Houve um momento de fiscalização apertada”, que “produziu efeitos”, mas a partir daí “continuaram a haver algumas falhas, principalmente através das cartas de vinhos em restaurantes em que não estão devidamente separadas as categorias de vinho, induzindo em erro os consumidores”, sublinhou.

João Ponte, ainda de acordo com a nota de imprensa, declarou que, além de se reforçar os mecanismos de controlo da rotulagem das garrafas de vinho, em colaboração com a CVR/Açores, foi implementado o controlo da qualidade e da quantidade das uvas entregues nas adegas através das categorias Denominação de Origem (DO), Identificação Geográfica (IG), entre outras.

O responsável reafirmou que em outubro vai ser lançado um novo aviso do Regime de Apoio à Reestruturação e Reconversão da Vinha (VITIS), orçado em quatro milhões, sendo privilegiadas as candidaturas que surjam nas ilhas Terceira, Graciosa, São Jorge, Faial, São Miguel e Santa Maria.

O artigo foi publicado originalmente em Açoriano Oriental.

Comente este artigo
Anterior Eliminar carne de vaca nas cantinas da Universidade de Coimbra é "demagógico e errado"
Próximo Vacas, sim! Alarmes, não!

Artigos relacionados

Vídeos

Setor Agrícola em debate durante a crise. JP Torres, Paulo Portas e Miguel Monjardino

A Agroglobal prossegue a ronda de conversas sobre os efeitos da crise no setor agrícola. Joaquim Pedro Torres entrevista dois especialistas em […]

Últimas

AgroSemana 2017 – Feira Agrícola do Norte

A AgroSemana – Feira Agrícola do Norte, que decorreu de 31 de agosto a 3 de setembro, no Espaço AGROS, afirmou-se, […]

Últimas

Oferta de emprego – Engenheiro Agrónomo, Florestal ou Arquiteto Paisagista – Lisboa

A RELVA VIVA está recrutar Engenheiro/Arquiteto Paisagista para a sua equipa. A RELVA VIVA é uma empresa com Escritório na Zona de Lisboa, […]