Covid-19: Governo antecipa pagamento de fundos comunitários aos agricultores

O Ministério da Agricultura está a antecipar pagamentos dos fundos comunitários aos agricultores e prevê pagar até 60 milhões de euros até à próxima semana

O Ministério da Agricultura está a antecipar pagamentos dos fundos comunitários aos agricultores, para os ajudar a enfrentar os impactos da pandemia, e prevê pagar até 60 milhões de euros até à próxima semana, anunciou hoje a ministra.

“É uma medida de capital importância para garantir que as empresas têm liquidez para fazer face” ao impacto da pandemia, afirmou Maria do Céu Albuquerque à agência Lusa.

“No dia 31 de março foram pagos 35 milhões de euros [de fundos comunitários aprovados] devidos desse mês e um montante semelhante seria pago a 30 de abril, mas começamos a antecipar o pagamento”, explicou.

A governante adiantou que, do montante previsto liquidar em abril, foram pagos sete milhões de euros na sexta-feira e a intenção é “continuar todas as semanas a fazer outros adiantamentos até perfazer o montante de abril”.

O Ministério da Agricultura estima pagar até 60 milhões de euros até 09 de abril, com a aprovação de outros fundos comunitários.

“Começámos a sentir, em alguns setores, problemas no escoamento dos produtos por diversas razões”, justificou a ministra da Agricultura.

As maiores dificuldades de escoamento são, por um lado, nas carnes de raças autóctones, cuja produção foi programada para dar resposta durante a Páscoa ao consumo das famílias que, “por estarem confinadas e não se juntarem, não estão a consumir” e, por outro lado, nos queijos, enchidos e outras carnes processadas, devido ao encerramento do Canal Horeca, que tinha como principal destinatário a restauração.

Também nas frutas sem casca e nos legumes consumidos em cru há problemas de escoamento não só “por serem perecíeis, mas também pelo receio infundado no sem consumo”, explicou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 60 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 266 mortes, mais 20 do que na véspera (+8,1%), e 10.524 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 638 em relação a sexta-feira (+6,5%).

FCC//LIL

Subscreva as nossas newsletters aqui.

O artigo foi publicado originalmente em Visão.

Comente este artigo
Anterior Covid-19: Ministério da Agricultura lança programa para apoiar produtos locais
Próximo Despacho estabelece medidas necessárias ao regular funcionamento da cadeia de abastecimento agroalimentar

Artigos relacionados

Internacional

El lío institucional de la UE, el dinero de la PAC, el marco financiero 2021-27 y el Brexit


En este año 2019 cambian el Parlamento y la Comisión, dos de las tres Instituciones de la Unión Europea más importantes. […]

Eventos máquinas agrícolas

Convenção de Revendedores Kubota 2018

Na passada 5ª feira, 22 de Março, em Monte Real, a Tractores Ibéricos reuniu 18 dos seus revendedores, num evento onde premiou os melhores de 2017.

Últimas

União Europeia acorda medidas de apoio aos agricultores afetados pela seca

Os apoios, propostos pela Comissão Europeia e hoje aprovados pelos 28, preveem que os agricultores de regiões afetadas por condições climáticas adversas possam receber até […]