Francisco Toscano Rico eleito por unanimidade presidente da CVR Lisboa

Francisco Toscano Rico eleito por unanimidade presidente da CVR Lisboa

[Fonte: Alvorada]

Francisco Toscano Rico, actual vice-presidente do IVV – Instituto da Vinha e do Vinho, foi eleito presidente da CVR – Comissão Vitivinícola da Região da Lisboa, sucedendo no cargo a Bernardo Gouveia, nomeado pelo Governo para presidente do IVV. A eleição, por unanimidade, ocorreu no passado dia 6 em Torres Vedras durante a reunião do Conselho Geral. Permanecem inalterados os os vogais da direcção em representação da Produção e Comércio, Carlos João Pereira da Fonseca (Bombarral) e José Bernardo Nunes (Cadaval), respectivamente, bem como José Luis Oliveira da Silva enquanto presidente do Conselho Geral.

Recorde-se que, tal, como avançámos no mês passado, a CVR Lisboa ficou sem liderança com a nomeação de Bernardo Gouvêa para presidente do IVV. Como consequência, de acordo com a legislação, caiu a direcção e a CVR teve que eleger a nova direcção. Segundo apurou o ALVORADA, Francisco Toscano Rico, quadro superior do Ministério da Agricultura, apenas tomará posse oficial do novo cargo em Janeiro, depois de abandonar o IVV, dado que neste momento está a fazer a transição da pasta para Bernardo Gouveia.

Bernardo Gouvêa tinha sido escolhido em Junho último como sucessor de Vasco d’Avillez à frente da CVR Lisboa, se encontrava no exercício do cargo há oito anos. Bernardo Gouvêa sucede a Frederico Falcão na presidência do IVV e a tomada de posse ocorreu no passado dia 3, tendo o seu nome sido escolhido pelo ministro da Agricultura, Capoulas Santos, após a ‘short-list’ de três nomes apresentada pela CRESAP – Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública.

A actividade da CVR Lisboa continua em modo de gestão assegurada pelos dois vogais até à entrada formal do novo presidente.

A CVR Lisboa é uma associação regional interprofissional, à qual compete controlar a origem, garantir a genuinidade e promover os produtos vitivinícolas com direito a Denominação de Origem e a Indicação Geográfica (Vinho Regional Lisboa). A instituição possui as denominações de origem: Alenquer, Arruda, Bucelas, Carcavelos, Colares, Encostas d’Aire (Alcobaça e Medieval de Ourém), Lourinhã, Óbidos e Torres Vedras e ainda a indicação geográfica homónima (‘Vinho Regional Lisboa’). A sede da CVR Lisboa está localizada nas antigas instalações do IVV em Torres Vedras.

Paulo Ribeiro (texto e foto)

Comente este artigo
Anterior Alterações climáticas em risco de mudar a dieta europeia
Próximo ASAJA, COAG, UPA y Cooperativas consideran “un paso atrás inaceptable” la nueva normativa sobre “venta a pérdidas”

Artigos relacionados

Sugeridas

Associações questionam porque se mantêm suspensas eleições para a Casa do Douro

Três associações do Douro querem saber porque o processo eleitoral da Casa do Douro continua suspenso e pediram audiências com os grupos parlamentares do PS, BE e PCP para exporem preocupações pela morosidade na […]

Últimas

Novos corpos sociais da FPAS

O Ato de Posse dos Corpos Sociais da FPAS para o biénio 2021/2022 teve lugar no passado dia 12 de maio, nas instalações da FPAS, no Montijo, eleitos em Assembleia Geral […]

Últimas

Há mais de 800 mil portugueses a trabalhar por turnos

É o maior número de trabalhadores com horários por turno desde 2011, quando se iniciou a nova série do Inquérito ao Emprego, […]