Fogo na Sertã está a ceder lentamente aos meios de combate

Fogo na Sertã está a ceder lentamente aos meios de combate

O incêndio de grandes dimensões que lavra esta sexta-feira no concelho da Sertã está a ceder ao combate “com lentidão”, disse à agência Lusa fonte da Proteção Civil.

“O incêndio está a ceder aos meios de combate, com lentidão, devido à orografia do terreno. Estão [os meios] a conseguir dominar as áreas ativas, sendo que ardem com mais intensidade dois dos seis setores do incêndio”, explicou à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Castelo Branco.

Na localidade de Cumeada, as pilhas de madeira armazenadas no exterior de uma fábrica foram atingidas pelas chamas, sem que as instalações estejam em perigo: “A fábrica está protegida”, adiantou.

A mesma fonte disse ainda que aguardam pela chegada ao teatro de operações de mais meios que, posteriormente, irão ser posicionados no terreno. As chamas lavram em zona florestal “com intensidade” e têm-se aproximado das localidades de Cardiga Cimeira, Albergaria e Bernardia.

O incêndio deflagrou pelas 14h50, na localidade de Marmeleiro, concelho da Sertã. Segundo a página na Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, às 22h10 estavam no terreno a combater as chamas 548 operacionais, apoiados por 166 viaturas.

Cinco feridos ligeiros e três pessoas retiradas da Cumeada

Cinco pessoas sofreram ferimentos ligeiros no incêndio e outras duas estão a ser reavaliadas pela equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), disse fonte da Proteção Civil.

Inicialmente as autoridades desconheciam a gravidade das vítimas, seis bombeiros e um civil.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Castelo Branco, neste incêndio ardeu uma casa devoluta e três pessoas com mobilidade reduzida foram retiradas da localidade de Cumeada, “por precaução”.

“Para já não está prevista a evacuação de localidades, sendo que os bombeiros têm feito um esforço adicional para proteger as habitações, as pessoas e bens”, afirmou.

A fonte adiantou que a Estrada Nacional (EN) 2 continua cortada “por precaução” e para permitir o trabalho dos bombeiros no terreno.

[Notícia atualizada às 22h10]

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Anterior Legislativas. Jerónimo de Sousa defende "viragem na política ambiental"
Próximo ​Incêndio em Valpaços leva a evacuação de aldeia. Proteção Civil aguarda reforços

Artigos relacionados

Cotações ES

Aumenta la demanda en mandarinas pero los precios se mantienen


Esta semana se han animado un poco más las compras en mandarinas, según la Lonja de Valencia, aunque los precios se mantienen sin cambios entre 18 céntimos de euro y 1 euro por kilo, […]

Nacional

Feira Nacional do Mirtilo já abriu inscrições

Entre os dias 27 e 30 de junho, a Feira Nacional do Mirtilo regressa ao Parque Urbano da Vila de Sever do Vouga. […]

Comunicados

COVID-19: Presidente da CAP alerta para cuidados sanitários nas explorações agrícolas

Agricultura não vai fechar. O sector vai continuar a realizar as suas múltiplas tarefas, as quais deverão ser rotineiramente executadas pelo que […]