Florestas.pt estabelece sete parcerias  para cocriação de informação e conhecimento

Florestas.pt estabelece sete parcerias para cocriação de informação e conhecimento

O Florestas.pt, plataforma digital dedicada à floresta portuguesa, acaba de estabelecer parcerias com sete entidades portuguesas, tendo em vista a partilha, dinamização e enriquecimento do conhecimento que disponibiliza.

Agro.Ges, ANP/WWF Portugal – parceria da Associação Natureza Portugal com o World Wide Fund for Nature, cE3c – Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais, Forestwise – Laboratório Colaborativo para a Gestão Integrada da Floresta e do Fogo, INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, Revista Silva Lusitana e SPCF – Sociedade Portuguesa de Ciências Florestais são agora instituições parceiras do Florestas.pt.

Professores, investigadores e técnicos destas instituições já apoiavam pontualmente o projeto, na revisão científica de conteúdos e nas sessões da Academia Florestas.pt, um novo espaço do Florestas.pt que disponibiliza sessões de formação em várias áreas-chave do conhecimento florestal e que, até ao momento, já contou com o contributo de Henrique Pereira dos Santos, arquiteto paisagista, de Teresa Soares David, engenheira silvicultora e investigadora do INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária e de Cristina Máguas, coordenadora do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c).

Esta perspetiva colaborativa, que se pretende reforçar, foi prosseguida desde o arranque do projeto, no sentido de basear a informação veiculada em dados robustos, fontes credíveis, referências bibliográficas consistentes e revisões independentes. Da mesma forma, mesmo antes de estabelecidas estas parcerias, a informação veiculada pelo Florestas.pt era já produzida por uma equipa de investigadores e redatores que trabalham conjuntamente para criar conteúdos acessíveis, estruturados em informação científica e técnica de referência.

Sob o mote “conhecer, valorizar e cuidar da floresta portuguesa”, e enquanto centro de conhecimento sobre os ecossistemas florestais portugueses e temas relacionados, o Florestas.pt é já uma fonte de referência. Disponibiliza informação oficial e conhecimento técnico-científico abrangente e state-of-the-art sobre o sector, com dados nacionais que, sempre que possível, são enquadrados no contexto histórico, europeu e mundial.

O objetivo é contribuir para que mais portugueses conheçam a importância da floresta em todas as suas dimensões, desde a ambiental, à social e económica, porque apesar de existirem centenas de trabalhos e relatórios técnicos, estatísticos e científicos sobre a floresta, muita desta informação é demasiado técnica e complexa, e está dispersa e fragmentada. A plataforma Florestas.pt pretende ser um repositório acessível de informação e conhecimento contextualizado, abrangente e próximo das pessoas, partilhando pistas sobre o que pode ser feito para fortalecer e cuidar dos ecossistemas florestais e seus recursos.

Comente este artigo
Anterior Tendências de Inovação para o setor agroalimentar em 2021 - 11 de fevereiro
Próximo Estudo | É possível um alimento ser OGM e biológico?

Artigos relacionados

Comunicados

IFAP acusa beneficiários de má-fé e de falta de transparência

Promovidas pelo IFAP e pelas Direções Regionais de Agricultura e Pescas, têm estado a decorrer diversas Ações de Formação subordinadas ao tema “Recolha e submissão dos pedidos de pagamento das medidas de investimento do FEADER e FEAMP”, especialmente dirigidas aos beneficiários […]

Cotações PT

Bolsa do Porco – Semana 14/2021 – Manutenção

Como acontece todos os anos, a semana depois da Páscoa é uma semana de transição que, nalguns países, sucede a um período com muitos dias sem abates – em Espanha são 4 dias […]

Notícias florestas

MAAVIM – balanço da actividade do Movimento Apoio às Vitimas dos Incêndios de Midões

A MAAVIM (Movimento Associativo de Apoio às Vitimas dos Incêndios de Midões) apresentará publicamente o balanço da actividade deste movimento, bem com serão dadas a conhecer as novas atividades a fazer, […]