Feira do Alvarinho de Monção recebe o lançamento de novos produtos

Feira do Alvarinho de Monção recebe o lançamento de novos produtos

Além de provas de vinhos, degustação de produtos gastronómicos e muita animação musical, a Feira do Alvarinho de Monção, a maior wine party de Portugal,
proporciona ainda a promoção das empresas produtoras de vinho Alvarinho presentes no certame.

Em alguns casos, os produtores aproveitam a importância do certame, visitado por dezenas de milhares de pessoas, para divulgarem e comercializarem
os seus produtos. Em outros, cada vez mais, optam pelo lançamento exclusivo de produtos novos durante a feira.  

De acordo com informação veiculada pelos produtores presentes no certame deste ano, algumas empresas vão apresentar novos rótulos na edição deste ano enquanto outros apostam em ações de marketing e expositores com imagem interior renovada, mais apelativa e atrativa aos olhos dos visitantes.

Um dos produtos novos será o “Vale dos Ares em Borras Finas”, um Alvarinho que estagia durante 18 meses em inox, sob borras finas. O objetivo, segundo
Miguel Queimado, é procurar uma interpretação da casta mais mineral e com mais textura de boca.

Outra novidade será o “Rebouça Grande Escolha 2018”. Luis Euclides Rodrigues adianta que
é um vinho de boa acidez citrina com muito longo e marcante final.
 A
vindima é efetuada manualmente para caixas de aproximadamente 20 Kg. Após a decantação, inicia-se
a fermentação em cascos de carvalho americano e termina em inox a baixa temperatura,
durante 1 mês.

A Quinta das Pereirinhas vai apresentar “Alvarinho Quinta das Pereirinhas – Reserva da Família”, colheita 2016, garrafa Magnun de 1,5 litros, edição
especial e limitada a 1500 garrafas numeradas. Segundo João Pereira, as uvas são produzidas numa única parcela, em regime de produção integrada (agricultura amiga do ambiente), onde curiosamente existe um Carvalho Alvarinho (Quercus róbur) com mais
de 300 anos.

Por sua vez, Anselmo Mendes lança “Alvarinho Private”, um vinho proveniente da Quinta da Torre, na freguesia de Moreira, fruto de uma parcela chamada
Vinha da Capela. Tiago Mendes, responsável de marketing e vendas, assinala tratar-se de um vinho que fermenta e estagia em barricas de carvalho francês usadas de 400 litros, durante 9 meses.

A Cortilha Velha, empresa que lançou o primeiro vinagre de Alvarinho na edição do ano passado, vai homenagear este ano o patrono da família, apresentando
o “Legado de Manuel Covas”, um vinho estagiado em casco de carvalho que, diz Joaquim Covas, “honra a memória do nosso Pai”.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Incêndios: Observatório defende estudo para resolver problema das queimadas
Próximo Marionetas, pontes e até angiógrafos. A montra dos fundos comunitários em Portugal

Artigos relacionados

Nacional

Governo diz ser “estruturante” nova empresa tecnológica em Évora para agrofloresta

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, considerou hoje “estruturante” para Portugal a nova empresa luso-brasileira ELIO Tecnologia, sediada em Évora, que aposta na tecnologia para […]

Nacional

Proteção Civil alerta para aumento dos caudais do rio Tejo

A Proteção Civil de Santarém alertou hoje para o possível aumento dos caudais do Tejo, prevendo que se mantenha nas margens, mas que venha a afetar as zonas agrícolas localizadas no leito do rio. […]

Ofertas

Oferta de emprego – Técnico de Produção Animal – Engenheiro Zootécnico – Santa Comba Dão

O VALGRUPO é um grupo em franca expansão e implementação a nível nacional.
Estamos a recrutar TÉCNICO DE PRODUÇÃO ANIMAL para SUINICULTURA EM SANTA COMBA DÃO. […]