FAO apoia novo ano agrícola angolano com materiais avaliados em 1,2 milhões de euros

FAO apoia novo ano agrícola angolano com materiais avaliados em 1,2 milhões de euros

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) apoiou com 1.500 ‘kits’ agrícolas, no valor de 1,5 milhões de dólares (1,2 milhões de euros), para 50 mil produtores angolanos.

Em comunicado, a FAO refere que o apoio dado no contexto do arranque da nova campanha agrícola 2021-2022 em Angola vai beneficiar agricultores familiares, cooperativas agrícolas de mulheres e jovens empreendedores.

A representante da FAO em Angola, Gherda Barreto, citada no comunicado, participou no ato central do arranque da campanha no município do Cuito Cuanavale, província do Cuando Cubango, juntamente com o ministro da Agricultura e Pescas, António de Assis.

Segundo Gherda Barreto, esta ajuda visa apoiar pequenos agricultores familiares e cooperativas de mulheres e jovens agro empreendedores a prosperarem nesta nova campanha, contribuindo para a segurança alimentar das famílias rurais angolanas.

O documento frisa que a entrega dos ‘kits’ será feita de acordo com as necessidades identificadas, sendo agrupados de acordo com as categorias: combate à seca, mulheres empreendedoras, jovens do agronegócio, escolas de campo resilientes e reforço da nutrição.

“Por exemplo, o ‘kit’ de combate à seca é composto por sistemas de irrigação com motobomba, mangueiras, tanques de depósito de água, sementes de milho, massango e feijão, blocos de sais minerais para o gado, produtos veterinários para tratar de animais”, indica a nota.

Já o ‘kit’ de mulheres empreendedoras inclui motos para o transporte de produtos, moageira para a transformação em farinha e também tanques de irrigação e conservação de água das chuvas, sementes de cereais e hortícolas (tomate, melancia, cenoura, beringela, entre outros).

Enquanto o ‘kit’ de escolas de campo resilientes tem painéis solares portáteis e diversas fruteiras (mangueiras, limoeiros, ameixoeiras), além de propágulos de batata-doce, galinhas e produtos veterinários para tratamento de animais.

Todos os ‘kits’ incluem também catanas, enxadas, barras de sabão, no contexto da prevenção da covid-19, sendo ainda os agricultores beneficiados com formação sobre como utilizar cada material e produto.

Comente este artigo
Anterior Asaja convoca movilizaciones con carácter nacional en protesta contra la propuesta del Plan Estratégico en todo su conjunto
Próximo GMO eggplant is documented win for resource-poor farmers

Artigos relacionados

Nacional

Perto de uma centena de concelhos de 15 distritos em risco máximo de incêndio

Cerca de uma centena de concelhos de 15 distritos de Portugal continental apresentam esta quinta-feira risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). […]

Nacional

Incêndios: Veterinário municipal sabia de abrigo onde morreram animais – PAN

A porta-voz do PAN disse hoje, no Algarve, que o veterinário municipal de Vila Real de Santo António sabia da existência do abrigo ilegal onde morreram […]

Eventos

Ciclo de conferências FORA DA CASCA: “Oportunidades para os frutos secos” – 4 de junho

A Revista Vida Rural está a organizar o ciclo de conferências online “FORA DA CASCA” com o objetivo de continuar a partilhar ideias e práticas que […]