Faixas de Proteção dos Recursos Hídricos – Mário Antunes

Faixas de Proteção dos Recursos Hídricos – Mário Antunes

Delimitação errática do Rio Tejo continua a penalizar agricultores ribeirinhos.

Serão os agricultores os incumpridores? O Estado não poderá fazer mais e melhor?

Sim, o IFAP delimitou incorretamente os limites do Rio Tejo em parcelas agrícolas e penaliza os agricultores ribeirinhos.

No âmbito da condicionalidade e das boas práticas agrícolas e ambientais, os agricultores devem, junto a rios e ribeiras, deixar uma faixa de proteção dos recursos hídricos.

Estas faixas de proteção incluem, nalguns casos, a impossibilidade de instalar culturas agrícolas, sob risco de existirem penalizações nas ajudas no âmbito da PAC.

Os agricultores sabem disso e com a existência das marachas é salvaguardada uma distância mínima superior a 5 metros entre o nível da água do rio tejo e as culturas instaladas.

Mas o IFAP apresenta incorretamente delimitadas, no seu sistema informático (parcelário), as margens do Rio Tejo.

Muitas vezes este limite está marcado, dentro das parcelas agrícolas, a mais de 30 metros do leito do rio e agora os agricultores estão a receber ofícios com a comunicação de incumprimentos das boas práticas agrícolas com indicação para devolverem montantes das ajudas recebidas.

Esta não é uma situação nova e a Agrotejo tem manifestado a sua preocupação junto de varias entidades oficiais no sentido da regularização da base informática do IFAP.

Mas não se vislumbra o fim desta situação!

O IFAP diz que a responsabilidade é da APA e esta (des)articulação traduz-se em penalizações que tendem a ser maiores com a recorrência deste incumprimento atribuído aos agricultores!

Serão os agricultores os incumpridores?

O Estado não poderá fazer mais e melhor?

Mario Antunes

Diretor Geral da Agrotejo

Comente este artigo
Anterior #AgriculturaNaoPara
Próximo Alerta da ONU. Medidas protecionistas dos governos nacionais podem provocar escassez de alimentos

Artigos relacionados

Notícias mercados

Superfície de milho diminui pelo quinto ano consecutivo

As sementeiras de milho iniciaram-se em meados de Abril e estão praticamente concluídas, revela hoje, 19 de Julho, o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Julho de 2019, […]

Últimas

Armazenamento na bacia do Sado abaixo dos 30%

[Fonte: Diário do Alentejo] A quantidade de água armazenada desceu em setembro em todas as bacias hidrográficas, tal como já tinha sucedido em agosto, […]

Opinião

O leite já é nacional, falta o preço justo – Carlos Neves

“Pelo futuro de Portugal beba leite nacional!” Gritámos pela primeira vez esta frase em Junho de 2009, numa manifestação entre o “Feira Nova” (agora “Pingo Doce”) da Póvoa de Varzim e o “Modelo” (agora “Continente”) de Vila do Conde. […]