Eucalipto: Seleção de varas: Conheça todos os segredos

Eucalipto: Seleção de varas: Conheça todos os segredos

Escolher os rebentos mais vigorosos nas toiças leva ao aumento do volume de madeira produzido, facilita o corte e diminui o risco de incêndio.

Após a plantação, os eucaliptais são geridos até ao corte, que, normalmente, se realiza entre os 10 e os 12 anos. Depois desta fase da gestão florestal, que corresponde à 1.ª rotação ou 1.º corte, e como o eucalipto é uma espécie com capacidade de regeneração natural, a condução destes povoamentos passa a ser feita em talhadia.

A partir do cepo ou toiça (base da árvore que permanece no terreno após o corte), ocorre o nascimento de rebentos de gomos dormentes localizados sob a casca. O corte dos rebentos (operação definida como seleção de varas) permite transformá-los mais tarde em árvores até serem cortados de novo aos 10-12 anos.

Como o eucalipto pode ser cortado mais do que uma vez, é possível geri-lo desta forma, usualmente até ao 3.º corte (2.ª e 3.ª rotação), repetindo em cada fase a seleção de varas, que irá permitir aumentar o volume de madeira no final da rotação, facilitar o corte e diminuir o risco de incêndio.

5 passos no corte dos rebentos

1. A seleção de varas (ou corte dos rebentos) deve ser realizada dois a três anos após o corte do povoamento. As varas devem estar lenhificadas, isto é, apresentar sinais de rigidez de tronco.

2. A operação deve ser efetuada de preferência no outono ou inverno (os meses mais frios do ano), período de menor crescimento das plantas.

3. O corte das varas a eliminar deve ser feito o mais rente possível à toiça (ou cepo), em bisel (ligeiramente inclinado, para evitar acumulação de água), e do exterior para o interior da toiça.

4. Devem ser selecionadas uma a três varas por toiça, de modo a repor o número de plantas da plantação. É aconselhado deixar até 1 800 varas por hectare.

5. No período de um a dois anos depois da seleção de varas, devem ser eliminados novos rebentos que surjam, para diminuir a competição com as varas escolhidas na fase anterior.

Como definir o número de varas por hectare

– Quando não há falhas de plantação e de rebentação de toiças (cepos), deixar uma a duas varas em toiças com mais de 20 cm para obter até 1 800 varas/ha.

– Na presença de falhas de plantação ou toiças mortas, compensar o número de varas nas toiças à sua volta (duas varas em posição oposta na toiça), desde que tenham dimensão para tal.

– Em toiças de menor dimensão (<20 cm) deixar apenas uma vara, independentemente da localização da toiça no povoamento.

– Em casos de elevada mortalidade de toiças, o número de varas por toiça pode ser aumentado, desde que as toiças tenham dimensão para tal.

– Nas bordaduras das propriedades e junto aos caminhos, deixar até três varas nas toiças maiores (>20 cm diâmetro). Dar preferência a varas opostas na toiça.

O artigo foi publicado originalmente em Produtores Florestais.

Comente este artigo
Anterior Subida do rio Búzi continua a engolir campos agrícolas no centro de Moçambique
Próximo Organização cancela edição da Ovibeja 2021 e assinala o evento com feira virtual

Artigos relacionados

Eventos

Ciclo de conferências sobre Agricultura Inteligente – 10, 17 e 24 de fevereiro e 3 de março

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) promove um ciclo de conferências em formato digital sobre Agricultura Inteligente que irão decorrer nos dias 10, 17 e 24 de Fevereiro e 3 de Março. […]

Eventos

Ano Internacional da Fitossanidade – 2, 9 e 16 de dezembro

A UTAD dedica quatro grandes momentos de ciência num grande Ciclo de Conferências sob o tema DESAFIOS E OPORTUNIDADES NO SETOR AGRÁRIO. […]

Eventos

Workshop “Dinamização de CCA e Estratégias Alimentares Territoriais” – 21 de outubro – Oeiras

O Workshop “Dinamização de CCA e Estratégias Alimentares Territoriais” […]