Estrutura agrária dificulta alcance de metas de recolha de embalagens de pesticidas – Valorfito

Estrutura agrária dificulta alcance de metas de recolha de embalagens de pesticidas – Valorfito

O diretor-geral do sistema que gere a recolha de embalagens de pesticidas alegou hoje que a estrutura agrária, dominada por agricultores idosos e pequenas explorações, é “a principal dificuldade” para alcançar os resultados pretendidos.

“A principal dificuldade para atingir os resultados de recolha pretendidos todos os anos resulta diretamente da estrutura agrária do nosso país, onde predominam os agricultores com mais de 65 anos e unidades de produção com menos de cinco hectares”, afirmou em comunicado António Lopes Dias, que dirige o Valorfito – Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura, assinalando que esta tendência é mais acentuada na região Norte.

O dirigente do Valorfito reagia a um comunicado divulgado no domingo pela associação ambientalista Zero que indicava que mais de metade das embalagens de pesticidas ficaram por recolher em 2020, representando cerca de 480 toneladas.

Segundo a Zero, os resultados do Valorfito continuam a ser embaraçosos 15 anos depois de o sistema ter sido criado.

Em 15 anos, de acordo com diretor-geral do Valorfito, foram recolhidas mais de 4,3 mil toneladas de resíduos perigosos, sendo que a taxa de recuperação de embalagens “quase duplicou” nos últimos 10 anos.

Apesar da melhoria “ano após ano” dos resultados, António Lopes Dias considera que é “muito mais difícil passar a mensagem” e “fazer com que as ações de sensibilização sejam totalmente eficazes” quando os agricultores são maioritariamente idosos e as explorações agrícolas são pequenas, de caráter familiar e para autoconsumo, onde são gastas “pequenas embalagens” de pesticidas, “mas em grande número”.

No comunicado, o Valorfito revela-se, no entanto, apesar dos reparos da Zero, disponível “para trabalhar” com as organizações não-governamentais em “propostas pedagógicas, de melhoria”.

A associação Zero defende, porém, mais fiscalização e penalizações para quem não entrega as embalagens nos pontos de recolha e um mecanismo entre vendedor e consumidor para que o utilizador do produto não possa comprar novos produtos sem entregar as anteriores embalagens.

O Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura espera atingir no fim de 2021 uma taxa média de retoma de embalagens na ordem dos 60% (a taxa média anual ronda atualmente os 50%).

Mais de metade das embalagens de pesticidas por recolher em 2020, alerta Zero

Comente este artigo
Anterior Costa anuncia fim da cerca sanitária nas duas freguesias do concelho de Odemira
Próximo “Em ano de autárquicas há mais incêndios florestais”: Marcelo lança alerta para o reforço da prevenção

Artigos relacionados

Comunicados

BEI e Crédito Agrícola garantem 200 milhões de euros para financiar empresas

Lisboa, 23 de Outubro de 2018 – O Banco Europeu de Investimento (BEI) concedeu um empréstimo de 100 milhões de euros ao Crédito Agrícola destinado a facilitar o acesso ao crédito às PME e midcaps localizadas principalmente em Portugal. […]

Últimas

Segurança Alimentar e Estratégias Nutricionais: Conferência Internacional – 26 de Junho 2017- Lisboa

O Comissário Municipal do Combate ao Desperdício Alimentar e Vereador, João Gonçalves Pereira, e o Vereador dos Direitos Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, […]

Comunicados

COGECA exorta a CE e os EM a intensificarem medidas de controlo da PSA e solicita medidas para apoiar o sector da carne de suíno

Abordando a questão da peste suína africana (PSA), que atingiu muitos países da UE através da população de javalis, e que esta está agora a colocar todo o sector de carne de suíno europeu sob […]