Estados-membros que violem regras da UE correm risco de perder fundos europeus

Estados-membros que violem regras da UE correm risco de perder fundos europeus

[Fonte: ECO]

Os Estados-membros que violarem regras da União Europeia (UE) correm o risco de perder ou verem suspensos fundos comunitários no próximo quadro financeiro plurianual 2021-2027, segundo uma proposta aprovada nesta quinta-feira pelo Parlamento Europeu.

A proposta em causa foi aprovada na sessão plenária do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, França, por 397 votos a favor, 158 contra e 69 abstenções, e terá ainda de ser negociada com o Conselho da UE.

Num comunicado divulgado após a aprovação, a assembleia europeia indica que a medida “estabelece regras para a proteção do orçamento comunitário caso se verifiquem deficiências generalizadas no que diz respeito ao Estado de direito nos Estados-membros”.

“A UE deve poder impor medidas adequadas que incluam a suspensão ou a redução do financiamento europeu de modo proporcional à natureza, à gravidade e ao âmbito das deficiências”, indica a proposta legislativa que foi apresentada pela Comissão Europeia relativamente ao quadro financeiro plurianual para 2021-2027.

Para que isso aconteça, a Comissão Europeia, apoiada por um painel de peritos independentes, terá de fazer um levantamento dessas “deficiências generalizadas” e propor as medidas sancionatórias a adotar, depois de ouvir o país em causa.

Caso Bruxelas opte pela perda ou pela suspensão das verbas, o Parlamento Europeu e o Conselho Europeu terão de dar aval à decisão, através da aprovação de uma transferência desses fundos para uma reserva orçamental criada para o efeito. Se as violações cometidas por esse Estado-membro forem, entretanto, resolvidas, “as duas instituições desbloquearão os fundos”.

A assembleia europeia nota que, para facilitar a adoção das decisões no âmbito deste processo, “essas transferências devem ser consideradas aprovadas, salvo se, num prazo determinado, o Parlamento Europeu ou o Conselho da UE, deliberando por maioria qualificada, as alterarem ou rejeitarem”. “Isto significa que o veto de um Estado-membro não será suficiente para travar a adoção destas medidas”, indica a nota.

Em causa podem estar violações das regras na “contratação pública ou concessão de subvenções”, no “funcionamento das autoridades responsáveis pelo controlo financeiro” e no “funcionamento dos órgãos de investigação e dos serviços do Ministério Público no que diz respeito à repressão da fraude, nomeadamente fraude fiscal, corrupção ou outras infrações”.

Acresce o desrespeito pelo “controlo jurisdicional efetivo, realizado por tribunais independentes” e a não “prevenção e repressão da evasão e da concorrência fiscais”, não cooperando de forma “eficaz e em tempo útil com o Organismo Europeu de Luta Antifraude e com a Procuradoria Europeia”.

A aprovação desta proposta legislativa ocorre num momento em que dois Estados-membros, Polónia e Hungria, estão na “mira” da Comissão Europeia, que tem em curso procedimentos contra Varsóvia e Hungria devido a violações do Estado de direito.

Bruxelas também já ameaçou agir contra a Roménia (que atualmente assume a presidência rotativa do Conselho da UE) devido a controversas reformas judiciais que, segundo o executivo comunitário, também ameaçam o Estado de direito.

Comente este artigo

O artigo Estados-membros que violem regras da UE correm risco de perder fundos europeus foi publicado originalmente em ECO

Anterior Tradecorp adquire empresa brasileira Microquimica
Próximo China financia projeto agrícola em Angola com 13 milhões de euros

Artigos relacionados

Nacional

Agromais-Mais de 530 milhões de euros em vendas em 30 anos

Na passada sexta-feira a AGROMAIS, juntou parceiros e muitas das personalidades, que marcaram o crescimento da nossa organização ao longos destas três décadas, no âmbito das comemorações dos 30 anos.
Na sessão que reuniu mais de 250 pessoas, entre as quais, antigos ministros, como Assunção Cristas, […]

Últimas

Ministro da Agricultura considera Brexit “oportunidade histórica” para “refundação” da Europa

Santarém, 16 jun (Lusa) — O ministro da Agricultura disse hoje, em Santarém, que a saída do Reino Unido da União Europeia constitui “uma oportunidade histórica” para uma “refundação” que regresse às origens do projeto europeu.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_5 span,#wpdevar_comment_5 iframe{width:100% !important;} […]

Dossiers

PAC post 2020: Baraja incluir una autorregulación en el mercado del aceite similar a la del vino

[Fonte: Agroinformacion – PAC]
En los debates sobre la PAC post 2020, en relación con la regulación del mercado del aceite de oliva, la Presidencia del Consejo en materia de organización de mercados ha introducido la propuesta española de contar con un mecanismo de autorregulación específico para este sector. […]