Estado das florestas europeias está a deteriorar-se, diz TCE

Estado das florestas europeias está a deteriorar-se, diz TCE

Sessenta por cento das florestas da UE são detidas por entidades privadas e, em 2017, o produto bruto com origem na silvicultura, incluindo as atividades madeireiras, ascendeu a mais de 55 mil milhões.

A União Europeia tem cerca de 180 milhões de hectares de florestas e outras zonas arborizadas, que cobrem 45% da sua superfície total. De acordo com o Eurostat, entre 1990 e 2020, a superfície florestal da UE aumentou 10,2 milhões de hectares. Ainda assim, e apesar da área florestal da UE ter aumentado nos últimos 30 anos, em geral o estado das florestas europeias está a deteriorar-se. A conclusão é de uma auditoria do Tribunal de Contas Europeu.

Sessenta por cento das florestas da UE são detidas por entidades privadas e, em 2017, o produto bruto com origem na silvicultura, incluindo as atividades madeireiras, ascendeu a mais de 55 mil milhões de euros. O relatório especial do TCE faz um balanço da estratégia florestal da UE para o período de 2014-2020, e das principais políticas da União neste domínio, e conclui que as práticas de gestão sustentável são fundamentais para manter a biodiversidade e fazer face aos efeitos das alterações climáticas nas florestas.

Salienta ainda que, nas zonas em que a UE tem competência para agir, a Comissão Europeia poderia ter adotado medidas mais firmes para a proteção das florestas. Por exemplo: é possível desenvolver mais esforços para combater a exploração madeireira ilegal e direcionar mais as medidas florestais de desenvolvimento rural para a biodiversidade e as alterações climáticas.

Outra descoberta passa pelo facto de o financiamento das zonas florestadas pelo orçamento da UE ser muito inferior ao da agricultura, apesar de a superfície coberta por floresta e a superfície para uso agrícola serem quase idênticas.

O financiamento da silvicultura representa menos de 1% do orçamento da PAC, centrando-se no apoio a medidas de conservação e à plantação e recuperação de superfícies florestais. 90% dos fundos da UE afetados à silvicultura são canalizados através do Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER).

“As florestas da UE são multifuncionais, contribuindo para objetivos ambientais, económicos e sociais. A definição de limites […]

Continue a ler este artigo em ECO.

Relatório Especial 21/2021: Biodiversidade e combate às alterações climáticas nas florestas da União: o financiamento da UE teve resultados positivos, mas limitados

Comente este artigo
Anterior Classificação da carne do bovino Ramo Grande nos Açores em Jornal Oficial
Próximo Crédito Agrícola participa na Fruit Attraction 2021

Artigos relacionados

Cotações ES

Incrementos generalizados en los precios en origen del aceite


Los precios en origen del aceite del oliva recogieron subidas generalizadas a lo largo de la semana pese a que la operatividad registrada en el mercado fue más baja. […]

Nacional

António Costa vai estar dois dias em Bragança para o arranque da iniciativa “Governo mais próximo”

Esta será a primeira edição de uma iniciativa que vai levar os governantes a percorrer o país ao longo da legislatura, […]

Notícias apoios

Pequenos agricultores sem capacidade de concorrer aos apoios

Até agora, do setor agrícola entraram 68 candidaturas num total de 31 milhões de euros à linha de crédito Covid-19. Das 150 mil pequenas […]