ECHA classifica Glifosato não cancerígeno

ECHA classifica Glifosato não cancerígeno

Este é o resultado da investigação do Comité de Avaliação de Riscos da Agência Europeia dos Produtos Químicos.

Fonte oficial da ECHA [Agência Europeia dos Produtos Químicos], emitiu ontem, 15 de Março, o seu parecer, onde considera a substância herbicida glifosato não cancerígena. Esta é uma tomada de posição que está em conformidade com as conclusões que a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos [EFSA] já havia partilhado em Novembro de 2015. A informação transmitida pela agência europeia aponta para o facto de as evidências científicas apresentadas não preencherem os critérios que permitam classificar esta substância como cancerígena. Já em Maio de 2015 a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e a própria Organização Mundial de Saúde (OMS) comunicaram, após análise a diversas substância activas, que o glifosato é improvável de ser genotóxico e carcinogénico para os seres humanos na exposição na sua dieta.

Para António Lopes Dias, director executivo da Anipla,“A ciência prevaleceu, e estou verdadeiramente satisfeito com o retomar da verdade e da evidência científica. Esta classificação pela ECHA é consistente com as 90.000 páginas de provas existentes, 3.300 estudos, e as opiniões da EFSA e da OMS”

Para o responsável, “O parecer não deixa quaisquer dúvidas: o glifosato não é cancerígeno. Ficamos agora a aguardar que a Comissão Europeia avance na maior celeridade com o processo de registo da substância na UE e conceda a aprovação de 15 anos – a mesma aprovação originalmente sugerida pela CE antes da substância ter sido objecto de um debate político e emocional, em vez de um debate com base em factos e ciência

A ECHA deverá emitir o seu parecer por escrito a Bruxelas que, por seu lado, deverá tomar uma decisão final sobre o glifosato até o final do ano. Os países-membros exercem sua influência através de votos num comité especial para a alimentação.

Comente este artigo
Anterior Primeros resultados del plan de reducción voluntaria de la producción láctea
Próximo Proponen alternativas viables para frenar las fuertes sanciones a los regantes por parte de la CH Duero

Artigos relacionados

Nacional

PCP chumba banco de terras. Reforma das florestas fica a meio caminho

[Fonte: Jornal De Negócios]

Depois de um dia de negociações, em que o Bloco de Esquerda acedeu a mudar a sua orientação de voto para viabilizar a aprovação dos vários diplomas do pacote de reforma das florestas, o PCP decidiu mesmo votar contra a criação de um banco nacional  de terras e de um fundo de mobilização de terras, […]

Últimas

Explorações agrícolas ficam fora de atualização de IMI rural

[Fonte: Gazeta Rural]
 O primeiro-ministro, António Costa, afirmou que a revisão do IMI rural que está a ser estudada pelo Governo destina-se a propriedades com mais de 50 hectares que não estejam afetas à produção agrícola.
“As produções agrícolas estão excluídas dessa atualização do IMI [Imposto Municipal sobre Imóveis]”, […]

Internacional

Bruselas estudiará concentrar las ayudas en las explotaciones pequeñas

[Fonte: Agropopular]
Parece claro que la salida del Reino Unido de la Unión Europea reducirá de forma significativa el presupuesto agrícola. Por ello, la Comisión de Bruselas tiene previsto estudiar una redistribución de las ayudas directas, dirigiéndolas a las explotaciones más pequeñas y las más respetuosas con el medio ambiente. […]