ECHA classifica Glifosato não cancerígeno

ECHA classifica Glifosato não cancerígeno

Este é o resultado da investigação do Comité de Avaliação de Riscos da Agência Europeia dos Produtos Químicos.

Fonte oficial da ECHA [Agência Europeia dos Produtos Químicos], emitiu ontem, 15 de Março, o seu parecer, onde considera a substância herbicida glifosato não cancerígena. Esta é uma tomada de posição que está em conformidade com as conclusões que a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos [EFSA] já havia partilhado em Novembro de 2015. A informação transmitida pela agência europeia aponta para o facto de as evidências científicas apresentadas não preencherem os critérios que permitam classificar esta substância como cancerígena. Já em Maio de 2015 a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e a própria Organização Mundial de Saúde (OMS) comunicaram, após análise a diversas substância activas, que o glifosato é improvável de ser genotóxico e carcinogénico para os seres humanos na exposição na sua dieta.

Para António Lopes Dias, director executivo da Anipla,“A ciência prevaleceu, e estou verdadeiramente satisfeito com o retomar da verdade e da evidência científica. Esta classificação pela ECHA é consistente com as 90.000 páginas de provas existentes, 3.300 estudos, e as opiniões da EFSA e da OMS”

Para o responsável, “O parecer não deixa quaisquer dúvidas: o glifosato não é cancerígeno. Ficamos agora a aguardar que a Comissão Europeia avance na maior celeridade com o processo de registo da substância na UE e conceda a aprovação de 15 anos – a mesma aprovação originalmente sugerida pela CE antes da substância ter sido objecto de um debate político e emocional, em vez de um debate com base em factos e ciência

A ECHA deverá emitir o seu parecer por escrito a Bruxelas que, por seu lado, deverá tomar uma decisão final sobre o glifosato até o final do ano. Os países-membros exercem sua influência através de votos num comité especial para a alimentação.

Anterior Primeros resultados del plan de reducción voluntaria de la producción láctea
Próximo Proponen alternativas viables para frenar las fuertes sanciones a los regantes por parte de la CH Duero

Artigos relacionados

Comunicados

Agricultural Markets Task Force Presents Recommendations on farmers in the food supply chain

The Agricultural Markets Task Force (AMTF), chaired by former Dutch Minister for Agriculture and University Professor, Cees Veerman, today presented its report to EU Commissioner for Agriculture & Rural Development, Phil Hogan.
The establishment of the Task Force, made up of twelve independent experts, reflected increased concern regarding global developments in the food supply chain and, […]

Comunicados

EU wins a WTO dispute on Russian pork ban

The ruling concerns a ban imposed by Russia in early 2014 because of a limited number of cases of African Swine Fever (ASF) in areas in the EU close to the border with Belarus.
The panel acknowledged that Russia’s refusal to accept imports of certain EU products and to adapt EU-Russia import certificates accordingly amounts to an EU-wide import ban. […]

Últimas

Medida 3 do PDR. Valorização da produção Agrícola – Setor Leiteiro – Está aberta

Anúncios sobre os investimentos na Exploração Agrícola no setor leiteiro:
Ação 3.2 | Operação 3.2.1 – Investimentos na Exploração Agrícola – Setor Leiteiro  → (aqui)
Destina-se: Investimentos em explorações agrícolas na atividade de produção de leite de vaca, com início após a data de apresentação de candidatura.O período de submissão das candidaturas é de 16 de Dezembro de 2016 às 12:00 a 31 de Março de 2017 às 19:00. […]