ECHA classifica Glifosato não cancerígeno

ECHA classifica Glifosato não cancerígeno

Este é o resultado da investigação do Comité de Avaliação de Riscos da Agência Europeia dos Produtos Químicos.

Fonte oficial da ECHA [Agência Europeia dos Produtos Químicos], emitiu ontem, 15 de Março, o seu parecer, onde considera a substância herbicida glifosato não cancerígena. Esta é uma tomada de posição que está em conformidade com as conclusões que a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos [EFSA] já havia partilhado em Novembro de 2015. A informação transmitida pela agência europeia aponta para o facto de as evidências científicas apresentadas não preencherem os critérios que permitam classificar esta substância como cancerígena. Já em Maio de 2015 a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e a própria Organização Mundial de Saúde (OMS) comunicaram, após análise a diversas substância activas, que o glifosato é improvável de ser genotóxico e carcinogénico para os seres humanos na exposição na sua dieta.

Para António Lopes Dias, director executivo da Anipla,“A ciência prevaleceu, e estou verdadeiramente satisfeito com o retomar da verdade e da evidência científica. Esta classificação pela ECHA é consistente com as 90.000 páginas de provas existentes, 3.300 estudos, e as opiniões da EFSA e da OMS”

Para o responsável, “O parecer não deixa quaisquer dúvidas: o glifosato não é cancerígeno. Ficamos agora a aguardar que a Comissão Europeia avance na maior celeridade com o processo de registo da substância na UE e conceda a aprovação de 15 anos – a mesma aprovação originalmente sugerida pela CE antes da substância ter sido objecto de um debate político e emocional, em vez de um debate com base em factos e ciência

A ECHA deverá emitir o seu parecer por escrito a Bruxelas que, por seu lado, deverá tomar uma decisão final sobre o glifosato até o final do ano. Os países-membros exercem sua influência através de votos num comité especial para a alimentação.

Comente este artigo
Anterior Primeros resultados del plan de reducción voluntaria de la producción láctea
Próximo Proponen alternativas viables para frenar las fuertes sanciones a los regantes por parte de la CH Duero

Artigos relacionados

Últimas

Luís Souto Barreiros coordena novo grupo de trabalho de cereais

[Fonte: Correio da Manhã]
O engenheiro Luís Souto Barreiros vai coordenar o grupo de trabalho que deverá propor uma “estratégia nacional e o plano de ação para a promoção do desenvolvimento da cultura dos cereais”, segundo um despacho publicado hoje em Diário da República. […]

Últimas

VITIS 2017-2018 – Ajustamento da dotação orçamental

[Fonte: IFAP]

As candidaturas ao Regime de Apoio à Reestruturação e Reconversão da Vinha (VITIS), Campanha 2017-2018, decorreram até ao final do mês de janeiro, registando-se um elevado nível de adesão.
Para atender às expetativas dos interessados, o Instituto da Vinha e do Vinho – […]

Comunicados

Cotações do leilão 17/2017

Consulte os 203 animais presentes para o leilão 18/2017.