E-REDES investe 14,5 milhões de euros na gestão da vegetação

E-REDES investe 14,5 milhões de euros na gestão da vegetação

A E-REDES vai investir, até ao final deste ano, 14,5 milhões de euros em ações de inspeção e de intervenção nas zonas de proteção e nas faixas gestão de combustível junto às linhas de eletricidade, com o intuito de garantir a melhoria da qualidade de serviço e a segurança das redes elétricas. O anúncio foi feito esta manhã pelo presidente do Conselho de Administração da Empresa, no âmbito da III Conferência Gestão da Vegetação.

“A E-REDES tem feito uma aposta significativa no desenvolvimento de soluções inovadoras com vista à gestão, manutenção e monitorização das redes elétricas, com especial enfoque nos espaços florestais. Para tal, temos implementado sistemas avançados de monitorização da vegetação junto à rede de distribuição de eletricidade, dos quais são exemplo a inspeção termográfica das linhas elétricas através de voos de helicóptero e a medição das distâncias de segurança com recurso a drones e imagens de satélite. O tratamento das imagens aéreas e de toda a informação recolhida tem-nos permitido assegurar uma intervenção cada vez mais eficiente no terreno”, garantiu José Ferrari Careto. “Ao aliarmos o conhecimento técnico à tecnologia e às suas imensas potencialidades, temos conseguido claros benefícios para a sociedade, quer em matéria de segurança, como de qualidade do serviço.  A gestão da vegetação é um tema muito desafiante, especialmente num país com as caraterísticas de Portugal, mas acreditamos que, com uma atuação coordenada de todos, estamos no caminho certo”, afirmou o presidente da E-REDES.

O evento digital, transmitido a partir de Pampilhosa da Serra, foi acompanhado por mais de 600 pessoas de diversas instituições e entidades ligadas a esta temática e contou com a presença do secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território.

“A E-REDES é uma das entidades integrantes do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais que maior eficácia introduz na execução e manutenção das faixas de gestão de combustível da rede secundária, demonstrando que a tecnologia é um poderoso aliado na gestão eficiente e inteligente de combustível. Cientes da importância cada vez mais relevante da tecnologia na monitorização da superfície terrestre, acompanhamos com muita atenção os processos tecnológicos que podem potenciar o sistema de monitorização de ocupação do solo, partindo de uma premissa fundamental: boa informação é essencial para boas e melhores políticas. Reconhecendo esta evidência e esta necessidade, o Governo, com o apoio do Next Generation EU, irá investir significativamente no levantamento LiDAR, no modelo digital do terreno e na cobertura com imagens de satélite de muito alta resolução de todo o território nacional, entre outros investimentos que serão realizados no âmbito da cartografia de referência”, concluiu João Catarino.

Comente este artigo
Anterior PAN/Açores quer acabar com transporte de animais para fora da região
Próximo Incêndios: Fase crítica de fogos com 475 bombeiros e um helicóptero no Alto Minho

Artigos relacionados

Últimas

Metodologias essencialmente desenvolvidas no ISA acabam de ser refletidas numa “resolução” da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV)

[Fonte: ISA] Resoluções da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) aprovadas na Assembleia Geral de 19 de Julho em Genève

O ISA, […]

Comunicados

Carta aberta dos Produtores de Leite ao Primeiro-ministro

Em maio passado, escrevemos uma carta aberta à Senhora Ministra da Agricultura e a várias entidades que intervém na fileira do leite. Não tivemos até hoje qualquer resposta do seu governo. […]

Últimas

Migrantes Odemira. Associação de produtores aponta responsabilidades também aos poderes públicos

A Associação Solidariedade Imigrante considera que estas empresas de aluguer de mão-de-obra funcionam como máfias e que as fiscalizações aos contratos de trabalho são insuficientes […]