Direção-Geral de Alimentação e Veterinária alerta para implementação de medidas de prevenção da Peste Suína Africana

Direção-Geral de Alimentação e Veterinária alerta para implementação de medidas de prevenção da Peste Suína Africana

[Fonte: Rádio Campanário] A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) alertou esta quarta-feira, 2 de outubro, para os riscos da Peste Suína Africana (PSA), sobretudo pela circulação do vírus em território europeu.

Segundo a Direção-Geral, o vírus da PSA continua a circular “em suínos domésticos e selvagens na União Europeia na Bélgica, Bulgária, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia, Roménia e na Itália, na ilha da Sardenha”, tratando-se de uma situação endémica desde o ano de 1978. Ainda na Europa, outros países terceiros foram afetados “a Ucrânia, a Moldávia e a Federação Russa (parte europeia) com focos tanto em suínos domésticos como em selvagens”.

Tendo em conta o agravamento da situação epidemiológica da PSA em suínos domésticos e selvagens na Europa e na Ásia foi aprovado em maio o Plano de Ação para a Prevenção da Peste Suína Africana 2019-2021, através do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

Este plano foi elaborado pela DGAV e ICNF e contém as medidas preventivas, bem como aborda a preparação da contingência em caso de ocorrência de um foco de PSA. Neste plano as medidas preventivas assentam em 5 eixos entre eles, a campanha de comunicação e sensibilização, o reforço da biossegurança, o reforço da vigilância e deteção precoce, a redução das populações de javalis e gestão das suas densidades e o incremento dos controlos oficiais.

A Peste Suína Africana é causada por um vírus que provoca uma doença muito grave nos suídeos que se expressa por um quadro clinico com exuberantes sinais hemorrágicos sendo quase sempre mortal. As espécies sensíveis são os suínos domésticos e os selvagens (javalis) de qualquer idade.

O vírus da PSA pode difundir-se facilmente por contacto direto ou indiretamente através de fomites ou outros veículos transmissores. Devido à sua gravidade, com rápida evolução da doença e à grande difusibilidade do vírus, a doença tem um elevado impacto social e económico, devido ás perdas provocadas. O vírus da PSA não representa qualquer perigo para a saúde humana.

Comente este artigo
Anterior Serpa investe 2 milhões em Centro Tecnológico Agro-alimentar
Próximo Fileira Europeia da Castanha reuniu em Portugal e pediu mais apoio para aumentar a produção

Artigos relacionados

Sugeridas

Tilray Portugal vai exportar 2,5 toneladas de canábis para Israel

Israel será o décimo quinto país para o qual a Tilray exporta canábis medicinal. O produto sairá da sede portuguesa da empresa multinacional. […]

Comunicados

Aromáticas Vivas recebe 3 Medalhas de Ouro

[Fonte: Concursos Nacionais]

Pelo sexto ano consecutivo, a empresa Aromáticas Vivas, com sede em Viana do Castelo, vê algumas das suas ervas aromáticas serem premiadas com medalha de ouro, […]

Nacional

Dona da Sagres chega a acordo com sindicato para aumentos de 2,5%

A Sociedade Central de Cervejas e Bebidas (SCC) chegou a acordo com o sindicato para aumentos de 2,5% dos trabalhadores da dona da Sagres, […]