Detido bombeiro suspeito de atear fogo em Alfândega da Fé

Detido bombeiro suspeito de atear fogo em Alfândega da Fé

Em comunicado, a PJ diz que, através da Unidade Local de Investigação Criminal de Vila Real, procedeu à identificação e detenção de um homem, suspeito de ter ateado sete focos de incêndio numa área florestal que abrange várias freguesias do concelho de Alfândega da Fé.

Os incêndios, ocorridos nos dias 22 e 28 de Junho, 18 de Julho, 03 de Agosto e 02 de Setembro deste ano, consumiram cerca de 110 hectares de área de mancha florestal.

“Os focos de incêndio colocaram em perigo uma vasta mancha florestal, constituída por mato, área agrícola, bem como habitações, de valor consideravelmente elevado, que apenas não foram consumidas devido à rápida intervenção dos bombeiros”, acrescenta a PJ.

O detido, com 39 anos de idade, bombeiro, vai ainda ser presente a interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação adequadas.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Anterior Quer investir, reforçar tesouraria, exportar ou criar uma empresa? Financiamentos estão todos reunidos neste portal
Próximo Produtores de leite protestam contra proibição de carne de vaca na Universidade de Coimbra

Artigos relacionados

Últimas

Mais de 150 meios humanos da Direção Regional dos Recursos Florestais estão no terreno a desobstruir caminhos

A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, através da Direção Regional dos Recursos Florestais, tem mais de 150 meios humanos e um número superior a uma centena de viaturas e equipamentos no terreno, […]

Internacional

Newly identified protein could help safeguard plants against climate change

[Fonte: GLP] A team of scientists from the United States announced that they have identified the protein in plants responsible for its cellular defense against excessive light, […]

Sugeridas

Incêndios: Política de gestão florestal é “desastre” que prejudica proprietários, diz especialista

A política de gestão da floresta, desde os incêndios de 2017, tem sido “um desastre”, em que “o ónus cai todo em cima dos proprietários”, […]