Culturas e colmeias arrasadas. Num só dia, fogo destrói o trabalho de uma vida

Culturas e colmeias arrasadas. Num só dia, fogo destrói o trabalho de uma vida

O incêndio que começou no sítio do Tojeiro, em Monchique, estendeu-se ao concelho de Portimão e fez arder mais de 2 mil hectares de terrenos.

O que viveu a família Nunes por estes dias é o exemplo do que sucedeu a alguns agricultores nos concelhos de Portimão e Monchique. No caso desta família de apicultores, foram atingidas as colmeias e todo o material necessário para produzir o mel.

“Tínhamos dois contentores marítimos cheios, arderam caixas de abelhas no campo. Ainda não fiz as contas, mas estimo que os prejuízos atinjam os 150 mil euros”, revela Carlos Nunes

À volta, no terreno, encontra-se tudo em cinzas, inclusive várias viaturas. “Um, dois, três, seis carros ardidos”, enumera o pai, António Manuel. A sua mulher, Maria do Rosário, lamenta também […]

Continue a ler este artigo na TSF.

Comente este artigo
Anterior Incêndios: 25 concelhos do interior Norte e Centro em risco máximo
Próximo Ausência de cadastro condiciona gestão ativa

Artigos relacionados

Últimas

Alemanha apela aos matadouros para se manterem operacionais nos fins de semana e feriados

Agricultores reclamam quanto a falta de capacidade de abate e a Alemanha lança apelo aos matadouros, para não fecharem as suas portas durante os fins de semana e feriados. […]

Nacional

Incêndios: Governo anuncia investimento de sete mil milhões de euros na floresta

O Governo prevê um investimento de sete mil milhões de euros na floresta até 2030, de acordo com um documento coordenado pela Agência de Incêndios Florestais que está em […]

Últimas

Entidades do agronegócio do Brasil defendem democracia e pedem “paz” no país

Entidades do agronegócio brasileiro publicaram na segunda-feira uma carta em defesa da democracia, indicando que o país precisa de “paz e tranquilidade” […]