Criado revestimento para fachadas que reduz consumo de energia e emissões de CO2

Criado revestimento para fachadas que reduz consumo de energia e emissões de CO2

Um consórcio liderado pelo Instituto Pedro Nunes (IPN), sediado em Coimbra, criou um produto de revestimento para fachadas de edifícios que reduz o consumo de energia e as emissões de CO2, foi anunciado esta quarta-feira. O projeto foi executado por um consórcio constituído por 12 parceiros de cinco países (Portugal, Espanha, Reino Unido, Alemanha e Eslovénia), informou o IPN, em comunicado enviado à agência Lusa.

A disponibilização deste novo sistema de revestimento será especialmente importante para dar um novo fôlego ao setor da reabilitação urbana, obedecendo a critérios sustentáveis e ecológicos que não desconsiderem a componente humana”, salienta a nota.

O produto, que permite contribuir para o aumento dos níveis de eficiência energética dos edifícios, foi desenvolvido nos últimos três anos no âmbito do projeto GELCLAD, que encerrou no final de julho com uma reunião em Gijon (Espanha).

Com um orçamento de 5,5 milhões de euros, dos quais 4,7 suportados pela União Europeia, o projeto GELCLAD criou “com sucesso um sistema avançado de isolamento de fachadas modulares, composto por um núcleo de aerogel e nano-isolante e uma camada de revestimento final feita de material ecológico”, explica o IPN.

“Atualmente, já se encontram desenvolvidos os conceitos científicos e processos de fabricação e foi criado um protótipo em escala real aplicado numa fachada de um edifício no município de Gijón“, lê-se no comunicado.

Citado na nota, Jorge Corker, coordenador do projeto, considera que este novo sistema contribui para “reduzir o consumo de energia e as emissões de CO2, permitindo ganhos até 40% de eficiência de isolamento“. Acrescentou: “apresenta-se como um produto inovador que supera as propriedades oferecidas pelos sistemas de isolamento de fachada tradicionais e que terá um impacto real na poupança energética”.

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior Neonicotinoids use and honey bees
Próximo Tempo abafado e com alguma chuva

Artigos relacionados

Nacional

PDR 2020: Agricultores menos dados a investir em 2018

[Fonte: Diário de Notícias]
Ajudas pagas pelo IFAP caíram pelo segundo ano consecutivo. Pagamentos por via do PDR2020 Investimento tiveram uma queda de 20% face a 2017
Os agricultores que se candidataram a programas de financiamento obtiveram no ano passado um total de 1,229 mil milhões de euros em apoios, […]

Notícias apoios

Caça: PDR 2020 tem 1,5 M€ para recuperação e conservação de espécies cinegéticas

Há mais um apoio ao sector da caça. A entidade gestora do Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 (PDR 2020) tem 1,5 milhões de euros para apoio à […]

Dossiers

Oferta de emprego – Controlador de Produção e Qualidade Alimentar – Engenheiro Zootécnico – Santarém

O VALGRUPO é um grupo em franca expansão e implementação a nível nacional. Estamos a recrutar um Controlador de Produção e Qualidade Alimentar. […]