COVID-19: Produção de álcool prioritária para fins hospitalares e farmacêuticos

COVID-19: Produção de álcool prioritária para fins hospitalares e farmacêuticos

Devido aos efeitos da pandemia do Covid-19 na saúde pública, a Ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, declarou como prioritários os pagamentos de apoios à produção de álcool para fins hospitalares e farmacêuticos, no âmbito dos pagamentos à desnaturação proveniente dos produtos vinícolas.

Esta decisão, no âmbito da medida de apoio à “destilação de subprodutos” do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), tem como objetivo dar resposta à escassez de álcool nos serviços de saúde, sem prejuízo do apoio económico à indústria vitivinícola.

O Ministério da Agricultura espera que os destiladores encaminhem os stocks de matéria-prima existentes, que se estimam em cerca de 500.000 L, de forma a aumentar a oferta de álcool para fins hospitalares e para a indústria farmacêutica.

Por forma a dar resposta às necessidades de álcool de uso hospitalar ou da indústria farmacêutica decorrentes da atual Emergência de Saúde Pública, visando minimizar os eventuais impactos da situação epidemiológica que atualmente se vive e manter o apoio económico aos operadores do setor vitivinícola, será dada prioridade ao pagamento da ajuda ao álcool entregue exclusivamente para fins de uso hospitalar ou indústria farmacêutica, na Campanha de 2019/2020, conforme estipulado pela Portaria n.º 82-A/2020.

Para mais informações consulte a Portaria n.º 82-A/2020, de 30 de março.

Comente este artigo
Anterior The EU shall not let a helping hand to be bitten
Próximo Rede Europeia de Desenvolvimento Rural publica Newsletter de Março 2020

Artigos relacionados

Últimas

Marcelo exige ação a Costa e dá a palavra ao Parlamento

[Fonte: RTP] O Presidente da República considera que o Parlamento deve clarificar ao país se quer ou não manter o Governo de António Costa em funções. Marcelo Rebelo de Sousa defende ainda que o Executivo deve um pedido de desculpas aos familiares das vítimas dos incêndios florestais de junho e de outubro.

Nacional

“Ébola” suína afeta cadeia alimentar mundial

A China, responsável por metade dos suínos do mundo, identificou a primeira ocorrência da gripe suína africana em agosto de 2018, […]

Últimas

Alqueva: que fazer com os precários?

Em Fevereiro deste ano, um razoável número de agricultores recebeu na sua caixa de correio uma notificação da EDIA que dizia algo impensável desde que a barragem do Alqueva começou a encher. […]