Covid-19: Paris apela aos desempregados para irem trabalhar para o campo

Covid-19: Paris apela aos desempregados para irem trabalhar para o campo

O ministro da Agricultura francês apelou hoje aos desempregados franceses e às pessoas que se encontrem sem atividade devido às medidas de confinamento desencadeadas pela covid-19 para trabalharem no setor agrário, que tem atualmente 200.000 vagas de emprego.

“Façamos um ato cívico, vamos para o campo”, sublinhou hoje o ministro Didier Guillaume numa entrevista ao canal BFMTV, na qual destacou que o problema para os agricultores não é não poderem pagar aos trabalhadores, mas sim o facto de não haver mão-de-obra disponível, em parte porque muitos trabalhadores temporários são estrangeiros e estão nos seus países.
Por isso, afirmou que “os agricultores acolherão muito bem” quem responda a este apelo.

A presidente do principal sindicato agrícola francês, FNSEA, Christiane Lambert, apresentou uma plataforma ‘online’ batizada “Braços para o teu prato” para pôr em contacto os potenciais candidatos com os agricultores.

Numa conferência de imprensa através do Twitter, Lambert deu como exemplo a situação dos produtores de espargos do sul do país, que não os podem apanhar por falta de mão-de-obra.

Lambert também se queixou de que chegaram espargos e morangos procedentes de Espanha a preços baixos, que a grande distribuição está a pôr à venda em lugar de o fazer com produtos franceses, aos quais o comércio deveria dar prioridade.

O titular da pasta da Economia, Bruno Le Maire, juntou-se a este apelo e pediu aos grandes grupos de distribuição para se abastecerem com produtos franceses, especialmente depois da decisão do Governo de proibir os mercados ao ar livre.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Jornal de Negócios.

Anterior Preço da carne de frango aumentou 30% numa semana
Próximo Não há risco de rutura no abastecimento de bens, diz grupo de acompanhamento

Artigos relacionados

Sugeridas

Adiantamentos Pedido Único da campanha 2016

Em outubro de 2016, o IFAP procedeu aos pagamentos dos adiantamentos (70%) previstos no Calendário indicativo de pagamentos publicitado no portal. […]

Últimas

Moçambique tem linha de crédito de 886 mil euros para impulsionar produção de caju

O Governo de Moçambique quer impulsionar a produção de caju voltar à produção de castanha de caju que se registava na década de 1970, […]

Dossiers

Planas defiende una PAC dirigida a la “inmensa clase media” que trabaja el campo en España

El ministro de Agricultura, Pesca y Alimentación, Luis Planas, ha asegurado que quiere una PAC dirigida a la “inmensa clase media” […]