Covid-19: Murça aposta na prevenção porque a “Covid-19 não vindima”

Covid-19: Murça aposta na prevenção porque a “Covid-19 não vindima”

O Centro de Gestão Empresa Agrícola Vale da Porca promove, em Murça, a “Covid-19 não vindima”, uma ação de esclarecimento para prevenir contágios durante o corte das uvas que junta trabalhadores de diversas proveniências.

Ana Cardoso, presidente da direção daquela associação de agricultores, com sede em Murça, disse hoje à agência Lusa que a palavra de ordem é “a prevenção” contra a covid-19 e referiu que vão ser realizadas seis sessões de esclarecimento, entre quarta e sexta-feira, na vila e nas aldeias de maior produção de vinho neste concelho do distrito de Vila Real.

As vindimas, que estão a começar na Região Demarcada do Douro, culminam um ano de trabalho na vinha, que é uma das principais fontes de rendimento deste território.

O corte das uvas é um trabalho que junta muitos trabalhadores, com circulação entre vários municípios, mas é também uma reunião familiar ou uma festa de entreajuda entre os produtores mais pequenos.

Ana Cardoso afirmou que, em tempos de pandemia, também na vinha é preciso implementar medidas de prevenção básicas como a não partilha de objetos, desde as tesouras aos recipientes usados para colocar as uvas cortadas, ou a higienização constante das mãos.

A presidente da direção do centro de gestão sugere também o uso da máscara, apesar de reconhecer as dificuldades sentidas de trabalhar ao livre com temperaturas a rondar os 40 graus, bem como a constituição de pequenas equipas por valado, sempre com as mesmas pessoas.

“Em vez de trabalharem lado a lado e partilharem os caboucos, cada pessoa deve ter o seu balde e devem estar frente a frente, nos lados opostos da videira, com a folhagem a servir de barreira física”, acrescentou.

Com as mesmas pessoas a trabalharem juntas, será também mais fácil identificar os contactos num caso de infeção.

A responsável alertou ainda para os cuidados a ter no transporte dos vindimadores, lembrou que os veículos não podem ultrapassar os dois terços da sua lotação e aconselhou a ser sempre a mesma pessoa a conduzir as viaturas ou então proceder à sua desinfeção sempre que haja trocas.

Apontou também cuidados a ter durante as refeições, nomeadamente para que não haja partilha de alimentos, e desaconselhou os convívios após a vindima.

“Seria gravíssimo ficar, por causa de um surto de covid-19 numa exploração, o trabalho de um ano inteiro por colher. Se não se vindimar não há resultados, podendo ficar em causa a sustentabilidade de muitas famílias e empresas”, afirmou.

Por isso, Ana Cardoso reforçou: “o nosso papel aqui é prevenir, prevenir, prevenir”.

As sessões de esclarecimento começam quarta-feira nas aldeias de Porrais e Sobreira, freguesia de Candedo, e prosseguem depois por Noura, Palheiros e Murça. No decorrer destas ações vão ser distribuídos panfletos com os cuidados básicos que devem ser seguidos.

A responsável considera que a evolução da covid-19 “depende do comportamento e da atitude de todos”.

Este município não possui, neste momento, qualquer caso ativo da doença. Desde o início da pandemia, foram registados 20 casos positivos no concelho de Murça.

Portugal contabiliza pelo menos 1.759 mortos associados à covid-19 em 52.825 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Comente este artigo
Anterior Cotações – Cortiça – Informação Semanal – 27 Julho a 2 Agosto 2020
Próximo Incêndios: Poiares quer reduzir risco de fogo com novas zonas de intervenção florestal

Artigos relacionados

Últimas

DGAV procura interessados em ensaios de valor agronómico de variedades

A Direcção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) lançou uma nota relativa à «necessidade de apoio para a realização de ensaios de valor agronómico de variedades de batata, […]

Dossiers

Governo apoia investimentos para travar ‘Xylella fastidiosa’ com 2 ME

O Ministério da Agricultura tem aberto até sábado um concurso, financiado pelo Programa de Desenvolvimento Rural, para apoiar, com um montante global de dois milhões de euros, […]

Nacional

Portugal Fresh é a ‘Organização de Produtores que marca’

Dispensa apresentações, mas não o reconhecimento. A Portugal Fresh (Associação para a Promoção das Frutas, Legumes e Flores de Portugal, nasceu há […]