CONTRIBUTE™ SR – O novo Bioestimulante da Alltech Crop Science homologado na Europa

CONTRIBUTE™ SR – O novo Bioestimulante da Alltech Crop Science homologado na Europa

A Alltech Crop Science, a divisão agrícola da Alltech, obteve um novo registo para o CONTRIBUTE™ SR, um bioestimulante líder e com resultados comprovados no mercado americano.

A Alltech Crop Science, empresa líder no desenvolvimento e formulação de soluções naturais para a agricultura, apresenta um novo produto para melhorar o estado do solo.  CONTRIBUTE SR é um bioestimulante que integra a gama global de produtos para a saúde do solo, incluindo corretores, ativadores de solo, microrganismos vivos, enzimas e inoculantes.

Estas tecnologias estimulam o desenvolvimento de um microbioma equilibrado, acelerando a decomposição dos resíduos orgânicos, aumentando a disponibilidade de nutrientes e o desenvolvimento de um bom sistema radicular.

CONTRIBUTE SR é formulado com uma mistura de diferentes tipos de microrganismos benéficos, que têm como principal função colonizar a rizosfera e potenciar o desenvolvimento das culturas agrícolas.

Segundo Pedro Navarro, Diretor Geral da Alltech Crop Science Espanha, «o equilíbrio entre Bacillus subtilis, Enterococcus faecium, Lactobacillus plantarum e um conjunto de enzimas, fazem do CONTRIBUTE SR o bioestimulante mais completo do mercado».

 CONTRIBUTE SR conta com a experiência do departamento de investigação microbiológica da Alltech, o que nos permite assegurar a máxima eficácia e rendimento deste produto no mercado, oferecendo assim uma gama ainda mais completa de soluções para dar resposta às necessidades dos produtores portugueses.

 O que é um bioestimulante? 

Os bioestimulantes são compostos, substâncias e outros produtos que se aplicam às plantas ou ao solo para regular e otimizar os processos fisiológicos das culturas agrícolas, tornando-as mais eficientes.  Segundo o artigo L. 255-5 do “Code Rural et de la Pêche Maritime”, estes fatores de produção devem cumprir três requisitos:

  1. Ser de origem vegetal, animal, mineral ou microrganismos não OGM (que NÃO sejam geneticamente modificados);
  2. Que no seu processo de fabrico não tenham sido sujeitos a qualquer tratamento ou exclusivamente a tratamento por meios manuais, mecânicos ou gravitacionais, por dissolução em água, por flutuação, extração por destilação a vapor ou por aquecimento para eliminar a água;
  3. Não ser perigosos para a saúde humana, animal e para o meio ambiente. Para comprová-lo devem ser submetidos a avaliação pela ANSES (Agence nationale de sécurité sanitaire de l’alimentation, de l’environnement et du travail).

Que vantagens têm os bioestimulantes para a agricultura? 

De acordo com o EBIC (European Biostimulant Industry Council), os bioestimulantes contêm substâncias e/ou microrganismos cuja função é estimular processos naturais para melhorar/potenciar a absorção de nutrientes, a eficiência destes, a tolerância ao stress abiótico e a qualidade das culturas agrícolas. Os bioestimulantes estimulam o crescimento e o desenvolvimento das plantas ao longo do seu ciclo de vida, desde a germinação das sementes até à maturação dos frutos, através de processos que incluem, entre outros:

– Melhoria da eficiência do metabolismo das plantas, induzindo o aumento da produtividade e a melhoria da qualidade da cultura;

– Aumento da tolerância das plantas do stress abiótico e recuperação de situações de stress abiótico;

– Facilitar a assimilação, translocação e o uso de nutrientes;

– Melhoria dos critérios de qualidade do produto, incluido teor em açúcar, cor, etc.;

– Regular e melhorar o equilibrio hídrico da planta.

– Melhorar determinadas propriedades fisicoquímicas do solo e fomentar o desenvolvimento de microrganismos benéficos do solo.

O que diferencia os bioestimulantes dos fertilizantes e fitofármacos?

– Atuam através de mecanismos distintos dos fertilizantes, independentemente da presença de nutrientes nos produtos.

– Diferenciam-se dos produtos para proteção das culturas porque atuam apenas ao nível do vigor das plantas, sem qualquer ação direta no controlo de pragas ou doenças.

A bioestimulação das culturas é, portanto, complementar da nutrição e da proteção.

Comente este artigo
Anterior Algarve troca laranjas por peras abacate
Próximo APMA adere ao clube varietal Candine

Artigos relacionados

Últimas

GNR recebeu este ano mais de 500 alertas de vespa asiática

A presença de vespa asiática em Portugal motivou 508 queixas de cidadãos durante este ano, localizadas maioritariamente no distrito do Porto (133), […]

Últimas

Comissão Europeia preparada para aumentar apoios a Portugal para combate aos incêndios

A Comissão Europeia afirmou esta segunda-feira (22 de julho) estar preparada para aumentar os apoios a Portugal para combate aos incêndios caso as autoridades nacionais requeiram reforços para fazer face aos fogos que assolam o país. […]

Nacional

ViniPortugal pressiona Governo a levantar limite de 1% para plantação de vinha

Frederico Falcão diz que o valor máximo previsto no regime de autorizações é “insuficiente para acompanhar o abandono” das vinhas devido à pandemia. As exportações de vinho sobem em 2020, […]