Continente lança campanha de apoio à produção nacional no dia de Portugal

Continente lança campanha de apoio à produção nacional no dia de Portugal

“O que seria de Portugal, sem a Produção Nacional?” é o mote da campanha que o Continente lança hoje, 10 de junho, para dar a conhecer a estreita relação que mantém, há 35 anos, com a produção nacional e que se intensificou nos últimos meses.

A campanha multimeios, com criatividade da Fuel – presente em televisão, imprensa, rádio, exterior e digital -, partilha o investimento do Continente na produção nacional e promove alguns dos sabores mais icónicos de diferentes partes do país, entre charcutaria, cereais, carne, pescado, fruta e legumes. No Dia de Portugal, a marca afirma no filme de conceito que “se é bom para quem produz e para quem compra, é bom para Portugal”.

“O momento exigiu uma atitude responsável e mobilizadora e foi nisso que o Continente se focou. E queremos partilhar este apoio, porque a nossa ligação à produção nacional é muito mais do que dados de compras”, refere Tiago Simões, diretor de Marketing da Sonae MC. “Temos desenvolvido relações muito estreitas, e justas, com os nossos produtores – e o Clube de Produtores Continente é um ótimo exemplo disso. E um exemplo que não surgiu agora, mas sim há mais de 20 anos, quando ninguém poderia prever a pandemia ou um acontecimento semelhante”, continua o responsável.

O lançamento desta campanha coincide com o aniversário do #BomParaPortugal – em que o Continente prometia que ‘Tudo o que Portugal nos dá, nós damos de volta’. “Esta campanha é mais um sinal do cumprimento dessa promessa. A 10 de junho de 2019 agradecíamos a confiança que os clientes depositam em nós e assumimos o compromisso de continuar a alimentar essa ligação. Um ano depois, quisemos continuar a falar das coisas boas que o país nos oferece e como isso é sinónimo de uma relação recíproca”, explica o diretor de Marketing da Sonae MC.

Para ajudar no escoamento de produtos do sector primário, nesta fase de emergência, o Continente integrou, em apenas 2 semanas, 40 novos membros – entre produtores e associações de produtores – no Clube de Produtores Continente (CPC) e comprou mais cinco milhões de euros em bens agroalimentares no 1º trimestre de 2020, em comparação com o ano anterior.

Só entre janeiro e março, o Continente adquiriu mais de 71,3 milhões de euros em produtos nacionais a estes produtores sendo que, na categoria de frutas e legumes, uma das que mais procura registou durante a pandemia, as compras nacionais representaram um crescimento superior a 4 milhões de euros em relação a 2019, superando os 28 milhões de euros.

 Entre outros exemplos, na oferta de talho, a marca triplicou a quantidade comprada a produtores nacionais de bovino; duplicou as compras de pescado de aquacultura nacional; organizou a Feira de Queijos de Portugal, onde se venderam mais de 100 toneladas de queijos portugueses em três semanas e duplicou a compra de laranja a produtores de todo o Algarve.

Em fase de pandemia, a Distribuição Alimentar foi identificada como um serviço crítico pelo Governo e a Sonae MC está consciente da sua responsabilidade para com o país, seguindo assim as orientações da Direção Geral de Saúde e do Ministério da Economia.

Comente este artigo
Anterior Oferta de emprego - Técnico de exploração agrícola - Engenheiro Agrónomo - Serpa
Próximo Assembleia da República chumba iniciativas legislativas com vista à regulamentação discriminatória do olival

Artigos relacionados

Nacional

Setembro de 2020: prados e pastagens de sequeiro sem biomassa disponível e reduzido valor nutritivo

Ao longo de Setembro de 2020, os prados e pastagens de sequeiro mantiveram-se secos, praticamente sem biomassa disponível e com reduzido valor nutritivo. Apenas as espécies […]

Eventos

Seminário “A importância da Produção Animal para a sustentabilidade social e ambiental” – 19 de maio

Participação de Nuno Carolino, secretário da direcção da SPREGA e investigador do INIAV (Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária). […]

Últimas

Sandra Tavares eleita uma das 24 melhores enólogas do mundo pelo Financial Times

Filha de um oficial da marinha e mãe suíça, nasceu nos Açores e cresceu na região de Lisboa, onde cedo começou as pisar as uvas nos lagares do seu avô, […]