Consumo de carne de coelho aumenta 7,6% com campanha europeia. Preço sobe 4%

O consumo de carne de coelho tem estado em queda nos últimos anos. Por isso a União Europeia decidiu co-financiar uma campanha que está já a dar resultados.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) e SIMA/GPP — Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral, ainda que o consumo não tenha aumentado de forma expressiva, regista-se uma subida do preço médio (+4,21%), e o aumento do número de abates (+7,6% em número de animais e +8,3% em toneladas de carne limpa), invertendo a tendência de queda acentuada que se vinha a registar nos últimos anos.

Um ano de campanha

Um ano após o arranque da campanha europeia de promoção ao consumo de carne de coelho, a ASPOC — Associação Portuguesa de Cunicultura faz um balanço positivo da iniciativa.

As sessões de esclarecimento e as acções de formação que a ASPOC levou a cabo junto dos estabelecimentos de ensino profissional ligados à cozinha e à gastronomia, bem como as campanhas de comunicação veiculadas através da televisão, rádio, imprensa, cinema e meios online, permitiram reposicionar o produto, conferindo-lhe um estatuto mais moderno, que evidenciou a sua versatilidade em termos de corte, apresentação e formas de confecção.

Vantagens da carne de coelho

A campanha alertou também o consumidor para as vantagens da carne de coelho numa dieta alimentar equilibrada: é uma carne magra, de fácil digestão, com uma importante presença de minerais (como potássio e fósforo) e vitaminas do complexo B, sendo também uma fonte de proteínas de alto valor biológico.

De acordo com a Associação “a campanha europeia de promoção ao consumo de carne de coelho tem sido uma experiência positiva para todos: os produtores sentiram-se mobilizados para diversificarem e modernizarem as formas de corte e de apresentação do produto, os consumidores foram elucidados sobre as vantagens dietéticas e a facilidade de confecção desta carne branca e ainda foi possível incrementar as trocas intra-comunitárias, o que era também um dos objectivos desta iniciativa”.

Financiada pela União Europeia

Financiada pela União Europeia, a campanha iniciada em 2018 tem como principal objectivo promover o consumo de carne de coelho de origem europeia, recorrendo à activação de memórias dos consumidores e à passagem de testemunhos inter-geracionais, destacando o valor nutricional e a flexibilidade de adaptação deste produto aos tempos modernos. Com a assinatura “Carne de Coelho – Como a vai cozinhar hoje?” a campanha prolonga-se até meados de 2020.

[embedded content]

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Em dois anos o Born from Knowledge distinguiu 23 projetos em concursos de inovação nacionais
Próximo Cotações – Azeite – Informação Semanal – 17 a 23 Junho 2019

Artigos relacionados

Últimas

Legislativas. António Costa apela a portugueses para visitarem o “outro Algarve”

António Costa fez este apelo ao falar aos jornalistas no miradouro da serra do Caldeirão, no concelho de Loulé (distrito de Faro), […]

Revistas

Suplemento Agrovida de Outubro da Vida Económica – Editorial Teresa Silveira

OE 2018: que dotação para a Agricultura e Mar?
O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, deu há dias a garantia ao país de que Portugal é já o terceiro Estado membro da União Europeia (UE) no que respeita à execução do Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER) destinado à Agricultura. […]

Últimas

Altas temperaturas: DGAV reforça medidas necessárias ao transporte dos animais

A DGAV – Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária está preocupada com as temperaturas altas que se fazem sentir e que poderão comprometer […]