Câmara Municipal de Alcácer do Sal critica passividade do Ministério do Ambiente

Câmara Municipal de Alcácer do Sal critica passividade do Ministério do Ambiente

[Fonte: Câmara Municipal de Alcácer do Sal]

Em busca de alternativas em períodos de seca

O presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença remeteu uma missiva ao Ministro do Ambiente e Transição Energética, João Matos Fernandes a reclamar uma audiência destinada a tratar soluções alternativas para mitigar as consequências dos períodos de seca que afetam a bacia hidrográfica do rio Sado.

No documento, Vítor Proença recorda a realização de uma reunião a 6 de abril do ano passado, na qual ambos participaram, assim como representantes dos principais organismos de agricultores do Vale do Sado e da qual se concluiu que seria criado um grupo de trabalho coordenado pela APA – Agência Portuguesa do Ambiente, “cuja missão seria tratar das questões relacionadas com o estudo das soluções para atenuar os períodos de seca que atingem a bacia hidrográfica do rio Sado, particularmente a zona beneficiada pela obra de rega do Vale do Sado” que, em 2018, esteve em risco de não ter produções agrícolas, tão severo foi o período de seca. Desde então, o município tentou várias vezes contactar a APA, sem nunca obter qualquer resposta.

“Inacreditável o desprezo com que o município de Alcácer do Sal, a Associação de Beneficiários do Vale do Sado, a APARROZ, a Associação de Agricultores de Alcácer do Sal, a SOPROSADO e os agricultores têm sido tratados. (…) Se é verdade que em 6 de abril saímos da reunião com alguma expetativa, hoje saboreamos um grande descontentamento”, refere o autarca no ofício, exigindo ao Ministro do Ambiente nova audiência, até porque a próxima campanha de arroz não tarda e o concelho de Alcácer representa 30 por cento da produção nacional, pelo que urge encontrar opções viáveis perante as alterações climatéricas.

Comente este artigo
Anterior IFAP - Informação Estatística - Montantes pagos por distrito em 2016, 2017 e 2018
Próximo CDS questiona Capoulas Santos por declarações contraditórias sobre o Projeto Tejo

Artigos relacionados

Sugeridas

CNA: Limpeza das Matas

É repressiva  a  aplicação  do “Regime Excepcional das Redes Secundárias de Faixas de Gestão de Combustível” alegadamente para a prevenção de Incêndios Florestais
A 15 de Março termina o prazo legal imposto para que os proprietários rurais, os produtores florestais e os órgãos de gestão dos Baldios, […]

Comunicados

Alteração da ZPE do Tejo Internacional, Erges e Ponsul – Proprietários rurais e gestores contra alargamento de ZPE em mais de 350% quando Governo corta 17 M€ nas medidas de apoio à Rede Natura 2000

Os proprietários rurais são responsáveis por atividades agro-florestais essenciais, em muitos casos, para a conservação da natureza e gestão da biodiversidade (CN &B). É nos territórios geridos por estes que ocorrem valores naturais de extrema relevância a nível nacional e comunitário, cuja existência depende largamente de um conjunto de práticas rurais extensivas de carácter agrícola, […]

Comunicados

Aromáticas Vivas recebe 3 Medalhas de Ouro

[Fonte: Concursos Nacionais]

Pelo sexto ano consecutivo, a empresa Aromáticas Vivas, com sede em Viana do Castelo, vê algumas das suas ervas aromáticas serem premiadas com medalha de ouro, no 6º Concurso Nacional de Ervas Aromáticas Tradicionais Portuguesas, organizado pelo CNEMA – Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas – […]