Câmara de Valpaços pede mais fiscalização à GNR para evitar furto de castanha

Câmara de Valpaços pede mais fiscalização à GNR para evitar furto de castanha

A Câmara de Valpaços pediu hoje à GNR um reforço da fiscalização para prevenir furtos de castanhas durante a época da apanha, que têm preocupado os produtores do concelho.

O presidente da Câmara de Valpaços, Amílcar Almeida, reuniu hoje com responsáveis de associações ligadas ao setor da castanha, nomeadamente a Agrifuturo e a Associação Regional dos Agricultores das Terras de Montenegro (ARATM), e os comandantes da GNR de Valpaços e Carrazedo de Montenegro para “delinear estratégias” para a campanha que se está a iniciar.

Citado num comunicado divulgado pelo município do distrito de Vila Real, o autarca reforçou “o apelo à GNR para que haja mais fiscalização e assim se evitem furtos de castanha durante a campanha deste ano”.

“É preocupante para todos, mas principalmente para os produtores que trabalham ao longo de todo o ano, vivem da castanha, e depois ficam sem boa parte do rendimento”, afirmou Amílcar Almeida.

A câmara explicou que o assunto “foi abordado agora, em reunião, para que este ano possa haver uma intervenção mais próxima do agricultor”.

Contactado pela agência Lusa, o Comando Territorial da GNR de Vila Real informou que, no distrito de Vila Real, foram registadas uma ocorrência de furto de castanha em 2019 e uma ocorrência em 2020.

No entanto, apesar do “número reduzido de ocorrências registadas, a GNR disse que mantém no âmbito da operação “Campo Seguro” ações de patrulhamento, direcionadas especificamente para a temática em questão, intensificando o patrulhamento nas áreas de maior concentração de soutos e armazéns.

Segundo a fonte, no período da apanha da castanha é também intensificado nestas áreas o patrulhamento a cavalo.

Esta operação de reforço à fiscalização, de acordo com o município, arrancará nos próximos dias, numa altura em que se intensificará também a apanha deste fruto.

Depois de um ano de interregno, a Feira da Castanha Judia, que se realiza em Carrazedo de Montenegro, Valpaços, regressa nos dias 5, 6 e 7 de novembro para promover a castanha e os seus derivados.

É nesta zona, em plena Serra da Padrela, que se situa a maior mancha de castanha judia da Europa, o fruto que é a principal fonte de rendimento para muitas famílias.

Comente este artigo
Anterior CNA acusa Governo de criar entraves à adesão ao Estatuto da Agricultura Familiar
Próximo Marcas britânicas de lácteos vinculadas à destruição de florestas no Brasil

Artigos relacionados

Últimas

A vez da agricultura inteligente

As soluções smart também já chegaram à atividade económica mais antiga que se conhece. Ferramentas sofisticadas estão a mudar o modo como se faz […]

Blogs

FPAS – Uma missão que não cabe em 40 anos – João Mateus

Ao longo destes 40 anos, a FPAS tem estado ao lado dos produtores, colaborando na elaboração de respostas e soluções. […]