Câmara de Idanha-a-Nova e Grupo Vera Cruz acordam instalação de fábrica de amêndoa

Câmara de Idanha-a-Nova e Grupo Vera Cruz acordam instalação de fábrica de amêndoa

A criação de uma fábrica para descasque de amêndoa em Idanha-a-Nova é o objetivo do Memorando de Entendimento que acabam de assinar a Câmara Municipal de Idanha-a-Nova e a empresa HVCZ Industries, do Grupo Vera Cruz, que está a investir 50 milhões de euros na produção de amêndoa na região.

“Este Memorando de Entendimento visa criar condições para que o Grupo Vera Cruz instale em Idanha um equipamento industrial para descasque de amêndoa, numa propriedade com cerca de 194 hectares que o Município de Idanha-a-Nova irá ceder, no âmbito da estratégia de acolhimento empresarial do nosso Green Valley Food Lab”, refere Armindo Jacinto, presidente da Câmara de Idanha-a-Nova.

A cedência deste prédio rústico tem como objetivo a instalação de equipamento industrial para o descasque e armazenamento de amêndoas, bem como de uma unidade de transformação das mesmas, e todos os processos industriais associados a essas operações. Prevê também a plantação de amendoal com desenvolvimento de projeto piloto para conversão em modo de produção biológico.

Armindo Jacinto explica que o “amendoal a instalar será convertido em amendoal intensivo biológico, com o apoio dos membros do CoLab (Laboratório Colaborativo) que tem sede em Idanha e junta cerca de 15 entidades a colaborar no desenvolvimento de técnicas de produção alimentar saudável e sustentável, incluindo instituições académicas, grandes empresas e startups”.

Refira-se que o Grupo Vera Cruz tem um projeto de investimento para os municípios de Idanha-a-Nova e do Fundão, iniciado no ano passado, que é um dos mais significativos alguma vez realizados na região, envolvendo a plantação de 3 milhões de amendoeiras, numa área até 5 mil hectares, dos quais até 2 mil hectares estão localizados no concelho de Idanha-a-Nova.

Com um investimento total estimado de 50 milhões de euros, o Grupo Vera Cruz prevê a produção de 4 mil toneladas anuais de amêndoas, colocando-o assim entre os maiores produtores de amêndoa da Europa.

Em representação deste grupo empresarial, Gustavo Ramos, gerente, afirma que “este é mais um passo que a Vera Cruz dá para atingir os seus objetivos, sempre com o acompanhamento e o apoio da Câmara de Idanha-a-Nova. Isso é muito importante para a nossa empresa, já que temos como objetivo a criação de um negócio que seja economicamente e socialmente responsável, princípios estes que vão de encontro à estratégia do Município”.

Assim, Gustavo Ramos, que gere o Grupo Vera Cruz com David Carvalho e Filipe Rosa, agradeceu “todo o apoio que a Câmara de Idanha-a-Nova nos tem dado” e deu a certeza que a empresa “irá corresponder e superar todas as expectativas que a autarquia e a comunidade idanhense depositaram em nós”.

Em conformidade com o projeto definido, o Grupo Vera Cruz, através da HVCZ Industries, irá instalar no concelho de Idanha-a-Nova, junto dos terrenos onde já é desenvolvida a atividade agrícola, um equipamento industrial próprio para o descasque e armazenamento de amêndoas, o qual incluirá fábrica, armazéns e demais instalações destinadas às atividades referidas, incluindo a receção das matérias-primas e escoamento para o mercado dos produtos finais.

Para além do impacto direto no setor, o projeto movimentará de forma decisiva a economia da região com a criação de emprego e a atração de população qualificada.

A empresa irá privilegiar postos de trabalho residentes no concelho de Idanha-a-Nova; recorrer a prestadores de serviço locais; colaborar com a Câmara de Idanha-a-Nova e outras entidades públicas locais na promoção da região; apoiar o desenvolvimento do ecossistema empresarial local; e a desenvolver os necessários estudos económicos e financeiros com vista à implementação, em conjunto com a Câmara de Idanha-a-Nova, da conversão da cultura de amêndoas para modo de produção biológico.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Anterior EDIA suspende atendimento presencial
Próximo COVID-19: Recenseamento Agrícola suspende entrevistas presenciais

Artigos relacionados

Nacional

Governo exige condições para alojar trabalhadores em explorações no Mira

[Fonte: Notícias ao Minuto] Quartos e instalações sanitárias, cozinha, eletricidade, água e esgotos, Internet, televisão por satélite e ar condicionado são condições exigidas pelo Governo para os alojamentos temporários amovíveis de trabalhadores em explorações no Aproveitamento Hidroagrícola do Mira (AHM). […]

Nacional

COVA DA BEIRA 2020: lançado concurso para financiamento de projetos agrícolas

Já foi lançado o concurso para o cofinanciamento de projetos de diversificação de atividades na exploração agrícola no âmbito do instrumento de apoio ao desenvolvimento local COVA DA BEIRA 2020. […]

Últimas

Insolvências de empresas sobem 2% em maio

As insolvências de empresas em Portugal aumentaram 2% em maio, mas recuaram 2,6% no acumulado do ano, face ao mesmo período de 2018, […]