CAL convida empresas portuguesas do agroalimentar numa  missão empresarial a São Tomé e Príncipe

CAL convida empresas portuguesas do agroalimentar numa missão empresarial a São Tomé e Príncipe

A Câmara Agrícola Lusófona (CAL) está a dinamizar a participação de pequenas e médias empresas (PME) portuguesas a estarem presentes em São Tomé e Príncipe. Este é mercado bastante dependente de importações e onde é evidente a preferência por produtos provenientes de Portugal. Fora da Europa, São Tomé e Príncipe é o país que possui relações sócioeconómicas há mais tempo, no que respeito ao agronegócio, entre 2012 e 2016, este país africano importou 42,2 milhões de euros, dos quais 35,6 milhões de euros eram de origem portuguesa, correspondendo a 84% da quota de mercado. No âmbito das diversas fileiras agroalimentares a quota de Portugal corresponde às seguintes percentagens: laticínios 81% (2,2 milhões de euros), nas carnes transformadas 84% (1,1 milhões de euros), nas gordura animais e vegetais é 83% (2,4 milhões de euros), nas hortofrutícolas 83% (3,2 milhões de euros), nos produtos de padaria e pastelaria 94% (5,7 milhões de euros) e nas bebidas 94% (9 milhões de euros). O potencial de exportação português é elevado, considerando-se farinha de trigo, arroz, vinhos e cerveja, como os principais produtos agroalimentares de origem portuguesas.

O fortalecimento das boas relações já existentes entre Portugal e São Tomé e Príncipe, é um dos principais objectivos desta missão empresarial. A localização geográfica privilegiada no Golfo da Guiné de São Tomé e Príncipe, torna-o num país com especial relevância constituindo-se como uma plataforma logística para os mercados desta região geográfica.

De 10 a 17 de Novembro, a comitiva empresarial terá a oportunidade de participar num programa com uma abordagem transversal no agronegócio, proporcionando contactos com diversas entidades de relevo – empresas locais, entidades governamentais, institucionais, bancárias, jurídicas, entre outros.

Esta é uma iniciativa que se insere no âmbito do Projeto de Internacionalização Agronegócio CPLP 2017/2018, cofinanciado pela União Europeia através do Portugal 2020 e Compete 2020.

A inscrições são limitadas, podendo ser efectuadas pelo seguinte link: aqui.

O programa da missão empresarial poderá ser acedido: aqui.

Para mais informações: aqui.

Comente este artigo
Anterior Oferta de emprego - Engenheiro Agrónomo (M/F) - Vila Nova de Milfontes
Próximo Instituto Pedro Nunes volta a apoiar empreendedores com o “Smart Rural Contest”

Artigos relacionados

Nacional

Estudo sugere que a Agricultura intensiva é menos poluente?

Os campos agrícolas que se rotulam mais amigos do ambiente, necessitam de mais terra e podem provocam maiores custos ambientais do que uma agricultura de elevada produtividade – intensiva. […]

Comunicados

Bohemia é a primeira marca de cerveja que assume a utilização exclusiva de Cevada do Alentejo

Numa homenagem e apoio à produção de cevada do Alentejo, região conhecida como “o celeiro de Portugal”, a Cerveja Bohemia lança a sua […]

Sugeridas

Los países del sur de Europa hacen un frente común para que se reconozca su peso en la PAC

[Fonte: Agro Informacion]
Los países del sur de Europa, que se han reunido en Santarém (Portugal), en la segunda ronda de contactos entre organizaciones agrarias de países mediterráneos con vistas a la futura reforma de la PAC 2020, […]