Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Junho de 2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Junho de 2020

Previsões Agrícolas

As previsões agrícolas, em 31 de maio, apontam para uma má campanha das prunóideas, em particular na cereja, onde se prevê uma diminuição no rendimento unitário de 60% face a 2019, mas também no pêssego, cuja produtividade deverá rondar as 9,1 toneladas por hectare (-20%, face à campanha anterior). Estes decréscimos são consequência das condições meteorológicas muito adversas da primavera, nomeadamente das chuvas intensas que ocorreram em períodos sensíveis do ciclo destas culturas. Em contrapartida, nos cereais de inverno, estima-se um aumento generalizado nas produtividades (+10% no trigo mole e triticale e +15% no trigo duro, cevada e aveia).

Quanto às culturas de primavera/verão, de salientar a redução de 10% prevista para a área de arroz, consequência da interrupção do fornecimento de água a cerca de 3 mil hectares de canteiros desta cultura enquanto decorrerem as obras de reabilitação do aproveitamento hidroagrícola do Vale do Sado. No milho, batata e tomate para a indústria as áreas instaladas deverão ser semelhantes às da campanha anterior, enquanto no girassol deverá haver uma redução (-15%), acompanhando a tendência observada nos últimos cinco anos. De referir que a pressão das doenças criptogâmicas tem sido intensa, obrigando à intensificação dos tratamentos fitossanitários na generalidade das culturas.

Gado, aves e coelhos abatidos

O peso limpo total de gado abatido e aprovado para consumo em abril de 2020 foi 34 953 toneladas, o que correspondeu a um decréscimo global de 13,7% (+11,4% em março), devido ao menor volume de abate registado em todas as espécies: bovinos (-10,1%), suínos (-13,4%), ovinos (-32,4%), caprinos (-24,5%) e equídeos (-55,3%). O peso limpo total de aves e coelhos abatidos e aprovados para consumo foi 29 886 toneladas, o que representou um acréscimo de 3,7% (+7,2% em março), devido ao maior volume de galináceos (+1,8%), perus (+22,4%), patos (+4,2%) e codornizes (+33,9%).

Produção de aves e ovos

O volume de produção de frango aumentou 2,4%, com 24 965 toneladas (-0,2% em março). A produção de ovos de galinha para consumo apresentou praticamente uma manutenção (-0,4%) em relação ao mês homólogo (+14,3% em março), com 9 647 toneladas produzidas.

Produção de leite e produtos lácteos

A recolha de leite de vaca foi 170,0 mil toneladas, o que representou um ligeiro aumento de 0,7% (+2,1% em março). Os produtos lácteos tiveram um decréscimo pouco significativo de 0,6% (+1,7% em março), devido à menor produção de leite para consumo (-1,1%) e de queijo de vaca (-9,7%).

Pescado capturado

O volume de capturas de pescado em Portugal diminuiu 21,4% (-34,1% em março), justificado pela menor captura de peixes marinhos (nomeadamente de biqueirão, carapau e atuns) bem como de crustáceos e moluscos. Às 5 226 toneladas de pescado correspondeu uma receita de 15 573 mil euros, valor que representou um decréscimo de 27,9% (-32,5% em março).

O preço médio do pescado descarregado foi 2,85 Euros/kg, ou seja, um decréscimo de 9,2% (+1,9% em março).

Preços e índices de preços agrícolas

Em maio de 2020, as variações mais significativas, em módulo, no índice de preços de produtos agrícolas no produtor foram observadas nos hortícolas frescos (+17,1%), ovos (+11,6%), batata (-24,9%), ovinos e caprinos (-17,6%), aves de capoeira (-17,4%), plantas e flores (-12,1%) e suínos (-9,4%).

Em comparação com o mês anterior, as variações de maior amplitude verificaram-se nos suínos (-15,2%), ovinos e caprinos (-10,7%), plantas e flores (-9,1%) e hortícolas frescos (-6,2%).

Em março de 2020, o índice de preços de bens e serviços de consumo corrente (INPUT I) diminuiu 0,5% e o índice de preços de bens e serviços de investimento (INPUT II) aumentou 1,2%. Relativamente ao mês anterior, assistiu-se a um decréscimo de 0,5% no índice de preços de bens e serviços de consumo corrente e a uma diminuição de 0,2% no índice de preços de bens e serviços de investimento.

COVID-19

Em abril de 2020 assistiu-se a uma redução do volume de abate de gado (-13,7%) para todas as espécies, devido à diminuição acentuada da procura (sobretudo pela retoma do nível normal de consumo das famílias e encerramento do setor da restauração). A redução da procura fez igualmente controlar o aumento no volume de abate de aves e coelhos, que teve um acréscimo global de 3,7% (+7,2% em março), e conduziu a decréscimos na produção de ovos de galinha para consumo (-0,4%) e no volume de produtos lácteos (-0,6%).

Da mesma forma, assistiu-se a uma diminuição significativa da quantidade de pescado capturado (-21,4%), tendo o preço médio em lota registado igualmente uma descida de 9,2%.

→ Consulte aqui o documento ←

Comente este artigo
Anterior Covid-19: Governo disponibiliza esta semana crédito de 30 milhões para floricultura
Próximo "Conversa Solta" com jovens agricultores em direto esta quinta-feira

Artigos relacionados

Blogs

OGM | Relatório conclui que milho transgénico não causa efeitos adversos

Para além de concluir que a produção de milho Bt (geneticamente modificado para resistir ao ataque da lagarta) não revelou qualquer […]

Últimas

Estudo | Milho GM pode ajudar Moçambique a resistir a secas e pragas

Num estudo do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM), divulgado em julho, o milho geneticamente modificado (GM) é apontado como uma estratégia eficaz para resistir às secas e às pragas que com frequência afetam este País africano. […]