Boletim Climatológico Sazonal – Inverno 2019/2020

Boletim Climatológico Sazonal – Inverno 2019/2020

inverno 2019/20 (dezembro 2019, janeiro e fevereiro 2020) em Portugal continental classificou-se como extremamente quente e seco (Figura 1).

Foi o 2º inverno mais quente desde 1931 (mais quente foi registado no ano de 1990). O valor médio da temperatura média do ar, 11.00 °C, foi superior ao normal com uma anomalia de +1.47 °C.

O valor médio da temperatura máxima, 15.67 °C, foi o valor mais alto desde 1931, com uma anomalia de +1.92 °C em relação ao valor normal 1971-2000.

O valor médio da temperatura mínima do ar, 6.33 °C, também foi superior ao normal, +1.01 °C, sendo o 3º valor mais alto desde 2000. Valores de temperatura mínima do ar superiores aos deste inverno ocorreram em cerca de 20% dos anos, desde 1931.

O total da quantidade de precipitação ocorrida nos meses de dezembro a fevereiro, 275.1 mm, corresponde a cerca de 78% do valor médio (Figura 3). Valores da quantidade de precipitação inferiores aos deste inverno ocorreram em cerca de 40% dos anos, desde 1931.

Aceda ao documento na íntregra.

Boletim Climatológico Sazonal – inverno, 2019/2020

O artigo foi publicado originalmente em IPMA.

Veja a previsão do tempo e a melhor altura para pulverizar na nossa página de Meteorologia powered by Syngenta.

Comente este artigo
Anterior CANCELADA - 8.ª AgroSemana 2020 - Feira Agrícola do Norte - 3 a 6 de setembro - Póvoa de Varzim
Próximo Oferta de estágio - Engenheiro Agrónomo - Viseu

Artigos relacionados

Últimas

Produtos certificados atingem o dobro do preço

Estudo refere que, em Portugal, o valor das vendas de bens agroalimentares com selo de proteção de origem subiu 49%, em sete anos. […]

Nacional

Tetra Pak lança plataforma informativa “Boa Embalagem para um Planeta Melhor”

A Tetra Pak desenvolveu a Boa Embalagem para um Planeta Melhor, uma campanha informativa que dá a conhecer os benefícios ambientais das suas embalagens aos consumidores portugueses. […]

Últimas

Opinião: A nova regionalização

Ricardo Castanheira

O que é que a amora, o mirtilo e a framboesa têm que ver com inovação, biorefinaria, giesta e regionalização?.. […]