Biomassa aumenta quota nas energias renováveis

Biomassa aumenta quota nas energias renováveis

A produção de eletricidade a partir de biomassa está a crescer em Portugal e representa já cerca de 10% das renováveis.

A biomassa deu origem a uma produção anual de 3243 GWh de energia elétrica em 2020, o que representa uma subida de cerca de 17% face aos 2749 GWh de 2019, de acordo com dados das estatísticas rápidas da Direção-Geral de Energia e Geologia.

O volume de 2020 representa um crescimento desta fonte no mix nacional, alcançando agora cerca de 10% do total de 32 083 GWh de Fontes de Energia Renovável (FER) registadas neste ano. Os dados referem que mais de 63% da produção se situa na região centro.

Em Portugal, a The Navigator Company é líder na produção de energia a partir deste recurso renovável. Em 2020, 60% da energia produzida pela empresa nos seus quatro complexos industriais teve origem na biomassa. No total, foram 1088 GWh, representando cerca de 33% do total do país. A Navigator, recorde-se, detém uma intensa atividade de produção de energia, que em 2020 foi de 1802 GWh (biomassa + gás natural), ou seja, cerca de 4% do total nacional.

No quarto trimestre do ano passado, esta empresa do setor da Pasta e Papel inaugurou uma nova caldeira de biomassa no complexo industrial da Figueira da Foz, o que lhe permitirá reduzir, já em 2021, as emissões de dióxido de carbono fóssil em cerca de 150 mil a 200 mil toneladas, o que representa 32% das emissões do Grupo.

A energia produzida a partir de biomassa tem o nome de bioenergia, e pode ser calor, eletricidade ou mesmo combustível para transportes.  Isto porque a biomassa pode ser diretamente queimada para gerar calor e/ou eletricidade ou convertida em óleo ou gás para produção de biocombustíveis que poderão ser usados em vários setores.

O Decreto-Lei nº 117/2010, de 25 de outubro, define biomassa como “a fração biodegradável de produtos, resíduos ou detritos de origem biológica provenientes da agricultura, incluindo substâncias de origem animal e vegetal, da exploração florestal e de indústrias afins, incluindo da pesca e da aquicultura, bem como a fração biodegradável dos resíduos industriais e urbanos”.

Sendo a madeira o produto gerador de renda mais importante da floresta, a biomassa florestal, composta pelas matérias vegetais provenientes das limpezas e operações, tais como podas, desbastes e cortes, é uma fonte de energia renovável, com um balanço nulo de emissões de CO2.

O artigo foi publicado originalmente em Produtores Florestais.

Comente este artigo
Anterior Presidente do Governo da Madeira defende aumento da indústria da aquacultura
Próximo The New EU Forest Strategy for 2030 - Position of European Forest Owners and Managers

Artigos relacionados

Últimas

Situação dos pastores preocupa presidente da ANCOSE

Manuel Marques, presidente da direção da Ancose- Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela, informou que as […]

Nacional

Imigração para Portugal já cresceu 18% em 2019 (e ainda vai aumentar)

Até ao dia 31 de outubro foram concedidas 110.813 novas autorizações de residência (AR) a cidadãos estrangeiros em Portugal, quase mais 17 mil do que em todo o ano de 2018 (93.154), […]