BCP tem 60 milhões de euros do BEI para emprestar a empresas

BCP tem 60 milhões de euros do BEI para emprestar a empresas

O BCP e a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD) assinaram um contrato de empréstimo de 60 milhões de euros referentes à Linha Capitalizar MidCaps, proveniente do Banco Europeu de Investimento (BEI), numa cerimónia no Ministério da Economia que se realizou na última quarta-feira, em Lisboa.

A nova linha de crédito destina-se a PME e MidCaps, ou seja, empresas que têm entre 250 e 3.000 trabalhadores, e foca-se sobretudo nos setores da indústria transformadora, turismo, agricultura, comércio e serviços. O programa contempla projetos em investimento produtivo e de desenvolvimento do negócio, nas áreas da inovação e da internacionalização.

Em vantagem perante os critérios da IFD estarão as PME e MidCaps “que privilegiem o financiamento do investimento relativamente ao fundo de maneio e que apresentem maturidade média mais longa (podendo ir até 12 anos)”. O financiamento pode assumir a modalidade de amortização única ao fim de até oito anos ou em prestações de capital até 12 anos, com quatro anos de carência.

“Com estas linhas do BEI, as nossas empresas vão ter acesso a recursos financeiros estáveis de médio e longo prazo para financiar adequadamente os seus projetos”, comentou o Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, dando resosta a uma necessidade, de acordo com o presidente executivo da IFD, Henrique Cruz: “esta linha dá resposta a uma das falhas de mercado que identificámos – a dificuldade de acesso a financiamento de longo prazo”.

Para o BCP, a medida vem em linha com a estratégia da instituição: “, “esta é mais uma medida que permite prosseguir uma inequívoca prioridade estratégica do Banco: o financiamento de PME e MidCaps que tenham modelos de negócio rentáveis e sustentáveis”, comenta Miguel Maya, o CEO.

O artigo foi publicado originalmente em Jornal de Negócios.

Comente este artigo
Anterior Mercadona altera relação com fornecedores a pensar nos clientes
Próximo Cimeira no Porto quer pôr Portugal no centro do debate da gastronomia

Artigos relacionados

Últimas

Medidas de apoio excecionais e temporárias – 6.ª Vaga (2.ª Tranche)

Informa-se que se encontram abertas, a partir de 11 de setembro de 2017, as retiradas de mercado para distribuição gratuita no âmbito das “Medidas de Apoio Excecionais e Temporárias – 6.ª vaga”, […]

Últimas

A “bazuca europeia” como oportunidade para o projecto Tejo – Duarte Marques

Num momento em que começa a ficar claro que o Plano do Partido Socialista para aplicar a “Bazuca” da União Europeia é regressar às megalomanias do costume, em centrar o investimento […]

Últimas

Conclusões 10º Colóquio Nacional do Milho 2020

O 10º Colóquio Nacional do Milho reuniu em Coimbra, a 19 de Fevereiro, 630 participantes, entre os quais cerca de 200 estudantes de […]