Aproveitar a diversidade das leguminosas

Aproveitar a diversidade das leguminosas

As leguminosas são um elemento principal nas misturas de pastagens e forragens. O pastoreio tem de ser complementado com a forragem nos períodos em que o crescimento da erva não é suficiente para satisfazer as necessidades alimentares dos animais: estes períodos ocorrem devido às baixas temperaturas, pela secura e calor do verão ou por secas imprevisíveis.

Os países da Orla Mediterrânica têm condições climáticas favoráveis às leguminosas pela abundância de luz e por terem uma época fria suave. O número e a riqueza de leguminosas autóctones nesta região são muito grandes.

Nos últimos cinquenta anos, em Portugal, por experiência adquirida no nosso país, mas também por conhecimento vindo de outros países, com condições ambientais semelhantes, aumentou muito o número de espécies e variedades disponíveis para produzir pastagens e forragens. Um trabalho do investigador João Paulo Carneiro, do INIAV.

O artigo pode ser lido na integra aqui.

*Artigo publicado na edição de maio da revista VIDA RURAL.

Tenha acesso à revista aqui.

 

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior Syngenta inaugura stand Agroglobal Virtual 360º
Próximo Ofertas de estágio - Agrónomo - Odemira e Loulé

Artigos relacionados

Sugeridas

Novo comissário europeu da Agricultura promete mudar modelo de reforma da PAC

O novo comissário europeu da Agricultura, o polaco Janusz Wojciechowski assegurou esta quarta-feira (2 de novembro) que irá […]

Nacional

PS defende uma floresta não autóctone e quer pagar o sequestro de carbono

Quem plantar floresta vai poder ser pago pelo sequestro do carbono, mas o Partido Socialista quer espécies de árvores diferentes das tradicionais, […]

Últimas

Declaração de existências de galinhas poedeiras – Período obrigatório – setembro 2020

No mês de setembro, decorre mais um período obrigatório de Declarações de Existências de Galinhas Poedeiras, conforme Aviso da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, publicado […]