Aproveitar a diversidade das leguminosas

Aproveitar a diversidade das leguminosas

As leguminosas são um elemento principal nas misturas de pastagens e forragens. O pastoreio tem de ser complementado com a forragem nos períodos em que o crescimento da erva não é suficiente para satisfazer as necessidades alimentares dos animais: estes períodos ocorrem devido às baixas temperaturas, pela secura e calor do verão ou por secas imprevisíveis.

Os países da Orla Mediterrânica têm condições climáticas favoráveis às leguminosas pela abundância de luz e por terem uma época fria suave. O número e a riqueza de leguminosas autóctones nesta região são muito grandes.

Nos últimos cinquenta anos, em Portugal, por experiência adquirida no nosso país, mas também por conhecimento vindo de outros países, com condições ambientais semelhantes, aumentou muito o número de espécies e variedades disponíveis para produzir pastagens e forragens. Um trabalho do investigador João Paulo Carneiro, do INIAV.

O artigo pode ser lido na integra aqui.

*Artigo publicado na edição de maio da revista VIDA RURAL.

Tenha acesso à revista aqui.

 

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior Syngenta inaugura stand Agroglobal Virtual 360º
Próximo Ofertas de estágio - Agrónomo - Odemira e Loulé

Artigos relacionados

Últimas

Governo avisa que limpeza das matas contra incêndios continua a ser obrigatória

O prazo termina a 30 de abril, depois de ter sido prorrogado, por decisão do Executivo, na sequência do estado de emergência. Ministro do Ambiente […]

Últimas

Agência Europeia do Medicamento publica parecer científico sobre categorização de antibióticos utilizados em animais

A DGAV – Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária informa que a Agência Europeia do Medicamento (EMA) publicou o parecer científico relativo à […]

Sugeridas

Ministro diz que próximo quadro comunitário de apoio prevê 200 ME para florestas

O ministro do Ambiente disse hoje que o quadro comunitário de apoio para 2021-2027 pode disponibilizar 200 milhões de euros para o setor florestal, o que representa “um multiplicar […]