Apoio à realização de queimadas avança em Vila Real, Viseu e Guarda

Apoio à realização de queimadas avança em Vila Real, Viseu e Guarda

A Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF) está a apoiar a Realização de Queimadas nos distritos de Vila Real, Viseu e Guarda. O objectivo desta iniciativa é a redução de áreas ardidas de forma desregulada durante o Verão, evitando assim que se transformem em incêndios severos, em áreas onde existe uma forte relação entre o uso tradicional do fogo e a actividade de silvopastorícia.

Viseu foi escolhido como distrito piloto para desenvolver o processo de acompanhamento e apoio aos pastores, com início desde Outubro de 2019, direccionado para áreas com necessidade de renovação de pastagens e melhoria dos habitats e onde a população rural tem uma percepção errada do risco e das condições do meio envolvente.

Equipa de projecto com representação distrital, regional e municipal

A equipa de projecto é constituída por entidades parceiras com representação distrital, regional e municipal, como o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a Direcção Regional de Agricultura, Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC), a Guarda Nacional Republicana (GNR), as Comunidades Inter-municipais (CIM), as Organizações de Produtores Florestais, Corpos de Bombeiros e autarquias, as quais procederam à definição de territórios prioritários nos diversos concelhos, procurando dar resposta aos problemas que foram identificados pelas comunidades locais.

Em Castro Daire, no distrito de Viseu, já foram realizadas 4 acções para renovação, aproximadamente de 100 ha de pastagens, em áreas identificadas pelos pastores, informa um comunicado da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais.

Estas acções foram realizadas por equipas dos Bombeiros de Castro Daire, Brigada de Sapadores Florestais da Comunidade Inter-municipal de Viseu e Dão Lafões, com apoio da Associação de Produtores Florestais de Montemuro e Paiva e Força Especial de Protecção Civil (FEPC), Grupo de Intervenção, Protecção e Socorro (GIPS), suporte logístico do Município de Castro Daire.

Montalegre e Vila Pouca de Aguiar

No distrito de Vila Real, nos concelhos de Montalegre e Vila Pouca de Aguiar foram queimados cerca de 15 ha estando identificados pelos pastores cerca de 550 hectares.

Estas acções serão realizadas por equipas operacionais compostas por elementos dos Corpos de Bombeiros, Brigadas e Sapadores Florestais, Força Especial de Protecção Civil (FEPC) e Grupo de Intervenção, Protecção e Socorro (GIPS), com apoio das Associações de Produtores Florestais e Municípios locais.

Com esta iniciativa, a AGIF pretende incentivar processos cooperativos e colaborativos entre as entidades que fazem parte do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais, numa acção focada nas causas dos problemas pela via da conciliação de interesses e operacionalização da prevenção, e garantir a diminuição do risco de incêndio.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Associação da Lavoura Duriense anuncia candidatura à Casa do Douro
Próximo Impacto da praga de javalis discutido na Assembleia da República

Artigos relacionados

Nacional

Nova sessão de informação em Pataias esta quinta-feira 16 de Novembro

Esta quinta-feira, dia 16 de Novembro, decorre mais uma sessão de informação para produtores florestais integrada no Projecto Melhor Eucalipto, desta vez em Pataias, […]

Últimas

​Megaexercício de Proteção Civil não afeta combate a fogos florestais

O dispositivo de combate a incêndio florestais não é diminuído pelo desenrolar, em Portugal, de um dos maiores exercícios de Proteção Civil. […]