ANIL promoveu a 9.ª edição deste que é um desafio que visa dinamizar o sector

ANIL promoveu a 9.ª edição deste que é um desafio que visa dinamizar o sector

Foi ontem, 30 de Outubro de 2018, o dia eleito pela ANIL – Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios para anunciar os resultados e entregar os prémios do 9.º Concurso ‘Queijos de Portugal’. A cerimónia teve lugar na FIL, em Lisboa, ao integrar o programa oficial da primeira edição do ‘Grandes Escolhas – Vinhos & Sabores’. São 21, número que corresponde às categorias em prova, os queijos que vão poder envergar o selo ‘Prémio Melhor Queijo 2017 – Concurso Queijos de Portugal’. Foram ainda chamados “ao palco”, para receber ‘Menção Honrosa’, 41 representantes de um total de 193 queijos que estiveram a concurso. A lista, dos 21 + 41 premiados, é extensa pelo que está disponível em documento próprio – em anexo.

Após uma análise rigorosa, objectiva e técnica feita a quase duas centenas de referências de queijo de produção 100% portuguesa, o painel de 24 jurados decidiu e atribuiu os devidos galardões.

De acordo com a lista de vencedores do Concurso ‘Queijos de Portugal 2017’ e no que toca aos produtores, o grande vencedor é JD-Empresa de Lacticínios, que arrecadou três galardões na categoria Cabra Cura Normal, com ‘Palhais Gourmet Saloio’, na categoria Mistura Cura Normal, com ‘Três Igrejas Tradicional Saloio’, e na categoria Mistura Cura Prolongada, com ‘Três Igrejas Cura Prolongada Saloio’, para além das três ‘Menções Honrosas’ na categoria Requeijão Mistura, com ‘Requeijão Natural Saloio’, na categoria Cabra Cura Prolongada, com ‘Palhais Rústico Saloio’, e na categoria Mistura Cura Prolongada, com ‘Sítio da Perdiz Saloio’. Seguiu-se a Lacticínios do Paiva, vencedor nas categorias Requeijão Vaca, Flamengo e Novos Sabores, com ‘Requeijão de Lamego’, ‘Paiva Bola’ e ‘Paiva Flamengo com Alecrim’, respectivamente, tendo arrecadado uma ‘Menção Honrosa’ na categoria Flamengo, com ‘Paiva Fatias’, e outra na categoria de Queijo Fresco Vaca. A Queijaria Flor da Beira venceu na categoria Requeijão Ovelha, tendo recebido também três ‘Menções Honrosas’: ‘Flor da Beira Amanteigado’ (Ovelha Cura Normal), ‘Flor da Beira Amanteigado Selecção’ e ‘Flor da Beira’, ambos na categoria Ovelha Cura Prolongada. Já à Queijaria Guilherme foram atribuídas duas ‘Menções Honrosas’ na categoria de Queijo Fresco Atabafado e uma categoria de Requeijão Ovelha.

Os outros vencedores são: Filomena Maria Amaro, na categoria Queijo Fresco Vaca, com o ‘Requeijoeste Argola’; Queijos Tavares, na categoria Queijo Fresco Ovelha, com o ‘Queijo Fresco de Ovelha Seia’; a Queijaria Licínia, na categoria de Queijo Fresco Cabra; Queijaria Prado da Sicó, nas categorias Queijo Fresco Mistura e Requeijão Fresco Mistura; a Queijaria Eira da Vila, na categoria Queijo Fresco Atabafado; a Queijaria Sapata e Filha, na categoria Requeijão Ovelha, com ‘Queijaria Sapata’; a Bilores-Queijo Artesanal, na categoria de Requeijão Cabra, com ‘Queijo Bilores’; a Cooperativa Agrícola de Lacticínios do Faial, na categoria Vaca Cura Normal, com ‘Ilha Azul Amanteigado’; a Lacticínios MAF nas categorias Vaca Cura Prolongada e Para Barrar, com ‘Queijaria Apimentada’ e ‘Rico Creme’, respectivamente; a Cooperativa Agrícola de Lacticínios de Lourais, na categoria Ilha, com ‘Lourais’; a NCCavaco-Produtos Alimentares, na categoria Ovelha Cura Prolongada, com ‘Almocreva Clássico’; a Rural Futuro, na categoria Ovelha Cura Prolongada, com ‘Modad’Oyro’; e a Lactibar-Lacticínios do Sabugal, na categoria Cabra Cura Prolongada, com ‘Quinta da Cabreira’.

De notar que o objectivo primordial da ANIL face ao Concurso ‘Queijos de Portugal’ reside em fomentar o desenvolvimento da indústria e melhorar o posicionamento dos queijos portugueses no mercado e, ao mesmo tempo, reforçar o reconhecimento deste produto junto do consumidor.

A importância deste desafio tem vindo a reflectir-se desde a primeira edição, na qual foram apresentados 57 queijos de 27 empresas, inseridos em cinco categorias. No ano seguinte – em 2010 – o registo de queijos levados a Concurso subiu para 95 queijos de 36 empresas, dados que remeteram para a introdução de mais seis categorias (11 ao todo), valores que quase duplicaram em 2013, com o anúncio da inscrição de 164 queijos de 49 empresas e do aumento para 19 categorias. Por sua vez, na edição de 2016, já noutro formato, o número de queijos levados a Concurso disparou para os 206, com a participação de 59 empresas, e as categorias aumentaram para 20, o que denota um acréscimo que tem vindo a granjear no panorama nacional, em grande parte justificada pela sua comprovada credibilidade e isenção. Em 2017, inscreveram-se mais, mas chegaram efectivamente a concurso 193 queijos de 55 empresas e foi introduzida mais uma categoria: o ‘Queijo Fresco Atabafado’. Um queijo fresco de origem maioritariamente alentejana e algarvia, produzido com leite de cabra ou mistura de leite de cabra e vaca, submetido a tratamento térmico superior ao da pasteurização.

O sucesso do Concurso ‘Queijos de Portugal’ também se deve à qualidade do painel de jurados composto por provadores especialistas com formação específica, representando o sector queijeiro, entidades da administração pública com ligação às vertentes agroalimentar, gastronómica e de distribuição, imprensa e consumidores.

Veja o vídeo deste ano:

Comente este artigo
Anterior Aides à l’agriculture biologique M. Chauveau, producteur: « Stéphane Travert, maintenez les aides au maintien ! »
Próximo Epandeur d’engrais Kverneland TL-X Geospread: une répartition optimale de l’engrais à haute vitesse

Artigos relacionados

Últimas

Andam a circular na net fotos de mulheres com cabeça de vaca: Campanha polémica torna-se viral na Índia

Sujatro Ghosh tem 23 anos e é o autor de uma polémica campanha em que retrata várias mulheres com uma cabeça de vaca como forma de protesto contra o partido nacionalista hindu

Comente este artigo
#wpdevar_comment_4 span,#wpdevar_comment_4 iframe{width:100% !important;} […]

Sugeridas

Lumiar é +BIO!

Dia 7 de Julho, a partir das 10 horas, a AGROBIO em cooperação com a Câmara Municipal de Lisboa convidam a conhecer o renovado Mercado do Lumiar + Bio. Trata-se do primeiro mercado biológico diário da cidade de Lisboa, resultado de uma parceria entre o Município, a Junta de Freguesia do Lumiar e a AGROBIO – Associação Portuguesa de Agricultura Biológica. […]

Nacional

O robô que vai tratar das vinhas nas encostas do douro

[Fonte: Diário de Notícias]
Para já, o Romovi será uma máquina desenvolvida no INESC-TEC para monitorização da vinha, de forma autónoma, pelos socalcos durienses
Para já, o robô ainda só anda pelo meio das oliveiras plantadas na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. […]