Alemanha apela aos matadouros para se manterem operacionais nos fins de semana e feriados

Alemanha apela aos matadouros para se manterem operacionais nos fins de semana e feriados

Agricultores reclamam quanto a falta de capacidade de abate e a Alemanha lança apelo aos matadouros, para não fecharem as suas portas durante os fins de semana e feriados.

A ministra da Agricultura alemã lançou esta sexta-feira (dia 27 de novembro) um apelo aos matadouros para que se mantivessem operacionais durante os fins de semana e feriados, de modo a diminuir o número de animais que se acumularam nas quintas durante a pandemia, segundo apurou a Reuters.

De acordo com as estimativas da indústria reveladas por Julia Kloeckner, cerca de 590 mil animais estão há espera de ser abatidos. Para já ainda não foram implementados subsídios para o armazenamento da carne não vendida, todavia estes são uma opção e são requeridas pela associação de agricultores, segundo as declarações da Ministra.

“A falta de capacidade de abate por parte dos países da União Europeia agravou-se devido às restrições relacionadas com a Covid-19”, disse Kloeckner numa reunião online realizada com as associações de agricultores e citada pela Reuters.

Continue a ler este artigo no Jornal de Negócios.

Comente este artigo
Anterior Rejeitado aumento do IVA dos fertilizantes. Anpifert saúda decisão da Assembleia da República
Próximo Queremos água mais barata!? - José Pedro Salema

Artigos relacionados

Últimas

A Hidro Ibérica aposta forte no Amendoal

O desenvolvimento de novos sistemas de cultivo e a nova geração de agricultores trouxe uma lufada de ar fresco às culturas mais antigas, […]

Dossiers

Issues at stake in the trilogues: II Public intervention

This is a second, long-delayed, post on the issues at stake in the trilogue negotiations between the Council, Parliament and Commission on the CAP reform dossier. The first was on relevant definitions, this time on the rules for public […]

Últimas

A difícil tarefa de lançar um produto fitofarmacêutico no mercado

É praticamente inevitável que, em dado momento, os agricultores tenham que recorrer a produtos fitofarmacêuticos para fazer face a pragas e doenças que podem provocar elevados prejuízos nas suas culturas. […]