AgroFresh reforça aposta na sustentabilidade

AgroFresh reforça aposta na sustentabilidade

A AgroFresh Solutions divulgou recentemente um estudo sobre o impacto do seu produto SmartFresh nos Estados Unidos da América. O estudo, encomendado pela AgroFresh, é relativo ao período de 2002 a 2018 e surge no âmbito do compromisso da empresa de «ampliar a vida útil dos produtos frescos, evitar o desperdício alimentar e conservar os recursos do planeta», explica um comunicado da AgroFresh.

Segundo o estudo, o SmartFresh «reduziu em mais de 250.000 toneladas os resíduos de maçã» e «o desperdício de maçã reduzido pelo SmartFresh equivale a mais de 3.028 milhões de litros de água que não foi desperdiçada». Acresce a isto que o SmartFresh «melhorou a sustentabilidade da cadeia de distribuição das maçãs ao eliminar mais de oito milhões de toneladas de dióxido de carbono do sistema» e «tornou possível que as maçãs estejam disponíveis durante todo o ano nos Estados Unidos e diminuiu a dependência das importações intensivas em carbono».

A propósito deste estudo, Jordi Ferré, CEO da AgroFresh, afirmou que, «desde a nossa criação, a AgroFresh tem proporcionado conhecimentos, soluções e serviços que ajudaram os nossos clientes a evitar o desperdício alimentar, ao mesmo tempo que se reduz a pegada de carbono e se salvaguardam os recursos da Terra». «Agora, estamos a fazer uma análise profunda para quantificar o nosso impacto ao longo da história, procurando a forma de o melhorar ainda mais. Queremos que os nossos clientes estejam conscientes dos benefícios que têm a longo prazo ao se associarem connosco, muito além das actividades diárias, com o nosso objectivo de optimizar os recursos do nosso planeta.»

O comunicado refere que «a iniciativa de sustentabilidade que a AgroFresh tem em marcha mostrará o impacto da sua carteira de produtos, bem como as oportunidades de aumentar o seu compromisso através de estudos complementares para outras soluciones e para outras zonas geográficas». Neste contexto, a empresa indica que «as próximas investigações analisarão o impacto do SmartFresh noutros mercados globais».

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas, Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior INIAV divulga formas de condução de amendoeiras em sistema intensivo
Próximo Nyusi quer Portugal como porta de entrada de Moçambique no mercado europeu

Artigos relacionados

Nacional

Exportações nacionais de vinho crescem 2,5% até Julho. Preço médio aumenta 5%

As exportações nacionais de vinho cresceram, entre Janeiro e Julho deste ano, 2,5% em valor e 5% em preço médio. Este crescimento contribui com um aumento em mais de 11 milhões de euros (de 437 milhões para 448 milhões de euros no período homólogo) para o total das transacções externas deste importante produto do sector agro-alimentar português. […]

Últimas

Um reitor para o futuro: sobre o fim da carne na Universidade de Coimbra – Nuno Alvim

A UC não proibiu os seus estudantes de comer carne de vaca, o que podem perfeitamente ainda fazer nas suas casas ou em restaurantes, […]

Nacional

Vendas de vinhos com rolha de cortiça nos EUA crescem 97% em 10 anos – estudo

Os vinhos vedados com rolha de cortiça lideram o mercado de vinho ‘premium’ nos EUA entre 2010 e 2020, com as vendas a aumentarem 97%, contra 6% nos vinhos com vedantes […]