Açores. Ajuda do POSEI à produção de meloa cresce 22% em 2020

O apoio do POSEI Açores — Programa de Opções Específicas para o Afastamento e a Insularidade nas Regiões Ultra-periféricas — à produção de meloa vai aumentar 22% em 2020. O anúncio foi feito pelo secretário Regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, em Vila do Porto.

“Em virtude da reclassificação da ajuda à produção de meloa na proposta de alteração do POSEI em 2020, que passará de hortícola para frutícola, haverá um aumento dos actuais 1.150 euros por hectare para 1.400 euros”, revelou João Ponte, acrescentando que Santa Maria tem um grande potencial para produzir mais meloas de grande qualidade e com mercado assegurado.

Incentivo à Meloa de Santa Maria

João Ponte, que falava sábado, 31 de Agosto, à margem de uma visita à exposição de produtos agrícolas, na Central Hortofrutícola da AgroMarienseCoop, no âmbito da Semana de Diversidade e da Festa da Meloa, salientou que se trata de uma alteração “muito significativa e um bom estímulo”, que visa incentivar o aumento da produção de Meloa de Santa Maria, a entrada de novos produtores, a entrega de mais meloas na cooperativa e, por via disso, contribuir para o desenvolvimento económico.

O secretário Regional da Agricultura e Florestas referiu ainda que, na actual legislatura, já ocorreu uma majoração de 10% da ajuda, no caso de se tratar de meloa classificada com Identificação Geográfica Protegida (IGP), que é mais um incentivo importante para a apoiar o rendimento dos produtores.

Semana da Diversificação e da Festa da Meloa

Na sequência do sucesso alcançado com esta edição da Semana da Diversificação e da Festa da Meloa, o secretário Regional lançou um desafio à direcção da AgroMarienseCoop para realizar em 2020 um evento promocional similar na Ilha de São Miguel.

Relativamente à Central Hortofrutícola da AgroMarienseCoop, João Ponte referiu que possui instalações devidamente preparadas para fazer o processamento das meloas, salientando que, além de produzir com qualidade, é preciso, hoje em dia, apostar no processamento e na apresentação do produto aos consumidores.

“Estas instalações têm todas as condições para fazer esse trabalho e a verdade é que a meloa mariense tem chegado ao mercado regional e nacional em excelentes condições e isso é importante do ponto de vista da valorização do produto e do rendimento dos produtores”, frisou João Ponte.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Hotel une vinho à música e cria 30 empregos em Santa Marta de Penaguião
Próximo CAP põe partidos políticos a debaterem o sector da agricultura

Artigos relacionados

Nacional

PT2020 tem 60% das verbas executadas – ministro Planeamento

O ministro do Planeamento, Nelson de Souza, disse hoje que não está preocupado com a execução dos fundos do Portugal 2020 (PT2020), indicando que até março foram executados 60% […]

Fitotema

Tomate: Evitar a propagação na União Europeia do vírus rugoso castanho do tomateiro

Regulamento de Execução (UE) 2021/74 da Comissão, de 26 de janeiro de 2021, que altera o Regulamento de Execução (UE) 2020/1191 sobre medidas para prevenir a introdução e propagação […]

Últimas

Entrevista de Eduardo Oliveira e Sousa à Antena1 e ao Jornal de Negócios

Conversa Capital com Eduardo Oliveira e Sousa

Ainda há esperança, diz o presidente da CAP referindo-se à situação da agricultura decorrente da seca. […]