​Incêndio em Valpaços leva a evacuação de aldeia. Proteção Civil aguarda reforços

​Incêndio em Valpaços leva a evacuação de aldeia. Proteção Civil aguarda reforços

O incêndio que deflagrou esta sexta-feira, pelas 13h36, em Ervões, Valpaços, e que obrigou à evacuação de uma aldeia, já passou para o concelho vizinho de Chaves, disse à Lusa fonte da proteção civil.

Neste momento, o fogo, com três frentes ativas, chegou a Gondar, em Chaves, distrito de Vila Real, sendo agora o “maior obstáculo” ao combate às chamas o “vento forte” e as suas mudanças de direção.

A aldeia de Valongo, no concelho de Valpaços, foi evacuada e pelo menos três casas destruídas pelo incêndio que está a ser combatido, às 21h30, por 370 bombeiros e 114 veículos.

A aldeia de Celeirós poderá ser também evacuada devido ao fogo, referiu a mesma fonte.

Segundo o Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Vila Real, o alerta para o incêndio em zona florestal na localidade do distrito de Vila Real foi dado às 13h36.

Autarca de Valpaços espera que vento não mude de direção para evitar “desastre”

O presidente da Câmara de Valpaços disse na noite desta sexta-feira esperar que o vento não mude de direção, porque, a acontecer, causará um “verdadeiro desastre” no concelho.

“Vamos ter muito trabalho. Esperamos que o vento não mude de direção”, porque, senão, “pode ser um verdadeiro desastre para o concelho que, até agora, já soma muitos prejuízos causados pelo fogo”, disse Amílcar Almeida à agência Lusa.

Ainda sem terem sido apurados os prejuízos causados, o autarca avançou que esses são “elevados”, nomeadamente ao nível das culturas.

“Os soutos foram muito afetados, há castanheiros totalmente consumidos pelas chamas que, infelizmente, já não vão produzir mais”, frisou.

O presidente da câmara sublinhou o trabalho dos bombeiros que, em terreno íngreme e muito arborizado, conseguiram, até agora, evitar prejuízos maiores.

Durante a tarde, o fogo chegou a ser combatido por seis meios aéreos.

[Notícia atualizada às 21h30]

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Comente este artigo
Anterior Fogo na Sertã está a ceder lentamente aos meios de combate
Próximo Mário Moura: a história do chá dos Açores não cabe em 500 páginas

Artigos relacionados

Últimas

EDIA lança concurso para o maior projeto fotovoltaico flutuante da europa

A EDIA prepara-se para lançar um procedimento contratual para o fornecimento, instalação e licenciamento de 10 Unidades de Produção […]

Nacional

Portugal Exportador 2019. Novo Banco promove maior evento das exportações do País

O Novo Banco promove mais uma vez, em parceria com a Fundação AIP e AICEP Portugal Global, a 14.ª edição do Portugal Exportador, […]

Nacional

Será 2019 o ano dos Insetos?

Sim… talvez. Ao nível da alimentação animal espera-se que o uso de insetos seja aprovado para aves e porcos. Já na alimentação humana, […]