UE altera regras de pagamentos da Política Agrícola Comum

UE altera regras de pagamentos da Política Agrícola Comum

[Fonte: Agricultura e Mar]

A União Europeia alterou as regras do apoio ao desenvolvimento rural pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (Feader), do financiamento, à gestão e ao acompanhamento da Política Agrícola Comum e dos pagamentos directos aos agricultores.

Foi ainda alterada a organização comum dos mercados dos produtos agrícolas e as disposições para a gestão das despesas relacionadas com a cadeia alimentar, a saúde e o bem-estar animal, a fitossanidade e o material de reprodução vegetal.

As mudanças forma publicadas no passado dia 29 de Dezembro de 2017 no Jornal Oficial da União Europeia.

Jovens agricultores

Explica o Regulamento (UE) 2017/2393 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 13 de Dezembro de 2017, que, a fim de garantir a segurança jurídica e a execução harmonizada e não discriminatória do apoio aos jovens agricultores, é necessário prever que, no contexto do desenvolvimento rural, a “data da instalação” é a data em que o requerente executa ou conclui uma acção relacionada com uma primeira instalação, e que o pedido de apoio deve ser apresentado o mais tardar 24 meses após essa data.

Além disso, a experiência adquirida com as negociações dos programas demonstrou que as regras para a instalação conjunta de jovens agricultores e os limiares para o acesso ao apoio exigidos deverão ser esclarecidos, e que as disposições relativas à duração do plano de actividades deverão ser simplificadas.

Formação

Acrescenta o documento que, a fim de facilitar a prestação de serviços de consultoria e de formação pelas autoridades de gestão dos Estados-membros, o estatuto de beneficiário ao abrigo dessa medida deverá ser alargado a essas autoridades, garantindo simultaneamente que o prestador do serviço seja escolhido por um organismo funcionalmente independente dessas autoridades e que sejam realizados controlos ao nível do prestador de serviços de consultoria ou de formação.

Por outro lado, a fim de incentivar a participação em regimes de qualidade, os agricultores ou grupos de agricultores que tenham participado nestes regimes nos cinco anos que precederam o pedido de apoio deverão ser elegíveis durante um período máximo de cinco anos, tendo ao mesmo tempo devidamente em conta o período da participação inicial no regime.

Pode consultar o Regulamento (UE) 2017/2393 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 13 de Dezembro de 2017, aqui.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

Receba este artigo na Newsletter do Agroportal

O artigo UE altera regras de pagamentos da Política Agrícola Comum foi publicado originalmente em Agricultura e Mar

Anterior Recusarán a la ministra por la limitación de plantaciones de viñedo para cava porque no puede ser “juez y parte”
Próximo Primeiro aviso da linha SOS Ambiente dos Açores foi sobre resíduos agrícolas

Artigos relacionados

Sugeridas

Governo quer estratégia e plano de ação para recuperar produção de cereais – ministro

[Fonte: Dinheiro Vivo – empresas]
O ministro da Agricultura anunciou hoje, em Santarém, a criação de um grupo de trabalho para delinear “uma estratégia e um plano de ação para a recuperação da produção de cereais em Portugal”.
Luís Capoulas Santos falava aos jornalistas no final de uma visita que marcou a inauguração da 54.ª Feira Nacional da Agricultura/64.ª Feira do Ribatejo, […]

Nacional

Fogo em Oliveira do Hospital combatido por quase 200 operacionais

[Fonte: Correio da Manhã]

Um incêndio na localidade de Santuário Senhora das Preces, em Oliveira do Hospital, Coimbra, mobiliza esta segunda-feira 195 operacionais no combate às chamas, de acordo com as informações disponíveis na página da Proteção Civil.
O incêndio, com início registado às 16h28 de domingo, […]

Nacional

I CLBHort: Material propagativo de espécies hortícolas – avanços e desafios futuros – 2 de Novembro 2017 – Lisboa

Os materiais propagativos são cruciais para a obtenção de produtos de qualidade que possam ser competitivos num mercado global. Nesta mesa redonda do I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura, a decorrer a 2 de Novembro, contamos com quatro especialistas de empresas e a instituições que estão diretamente relacionadas com a produção ou com o controlo da qualidade destes materiais. […]