Resumo Climatológico de janeiro

Resumo Climatológico de janeiro

O mês de janeiro de 2020, em Portugal continental, classificou-se como quente e seco (Figura 1).

O valor médio da temperatura média do ar, 9.58 °C, foi superior ao valor normal em 0.77 °C (Figura 2). Valores de temperatura média superiores, aos agora registados, ocorreram em 25 % dos anos desde 1931.

O valor médio da temperatura máxima do ar foi de 13.91 °C, 0.82 °C superior ao valor normal, sendo o 14º valor mais alto desde 1931 (mais alto em 2008), Figura 3. De referir que os valores de temperatura máxima do ar em janeiro foram sempre superiores ao normal nos ultimos 9 anos (desde 2012), sendo este o maior periodo consecutivo com anomalias positivas desde 1931, para o mês de janeiro.

O valor médio da temperatura mínima do ar, 5.26 °C, foi superior ao normal em 0.72 °C. Valores de temperatura mínima do ar superiores aos agora registados ocorreram em 30 % dos anos, desde 1931.

Durante o mês verificou-se grande variabilidade dos valores de temperatura do ar (mínima, média e máxima), sendo de destacar na (Figura 4):

  • temperatura máxima do ar os períodos de 14 a 19 e 25 a 31, com valores médios diários superiores ao valor normal do mês;
  • temperatura mínima do ar até ao dia 13, os valores médios diários foram quase sempre inferiores ao valor normal (exceto dias 3 e 9) e a partir de dia 14 foram quase sempre superiores ao normal, sendo de realçar os período de 15 a 18 e 28 a 31 com desvio superiores a +4°C.

O valor médio da quantidade de precipitação em janeiro, 76.0 mm corresponde a cerca de 65 % do valor normal 1971-2000 (Figura 5).
Em termos de distribuição espacial, apenas no litoral Norte se verificaram valores acima do valor normal mensal; nas restantes regiões foi inferior, em particular no Alentejo e no Algarve.

No final do mês de janeiro, os valores de percentagem de água no solo (Figura 6) mantêm-se iguais à capacidade de campo nas regiões do Norte e Centro. Na região Sul verificou-se um ligeiro aumento, no entanto ainda há alguns locais do Baixo Alentejo e Algarve ainda com valores inferiores a 40%.

De acordo com o índice PDSI, no final janeiro (Figura 7), mantém-se a situação de seca meteorológica nas regiões a sul do Tejo, sendo de realçar as regiões do Baixo Alentejo e Algarve nas classes de seca moderada e severa.

A distribuição percentual por classes do índice PDSI no território é a seguinte: 1.3% chuva severa, 26.0 % chuva moderada, 19.4 % chuva fraca, 12.4 % normal, 23.1 % seca fraca, 11.7 % seca moderada e 6.1 % seca severa.

Resumo Climatológico – janeiro de 2020

O artigo foi publicado originalmente em IPMA.

Veja a previsão do tempo e a melhor altura para pulverizar na nossa página de Meteorologia powered by Syngenta.

Comente este artigo
Anterior A nova taxa sobre a floresta: se ainda mexe, taxe-se - Francisco Gomes da Silva
Próximo Eurodeputada do PS diz nos Açores que manter verba do POSEI é prioridade do partido

Artigos relacionados

Últimas

Aberdeen-Angus Portugal: 2020 é um ano de grandes desafios com campanhas contra a produção animal

A direcção da Associação de Criadores Aberdeen-Angus Portugal considera que “2020 perspectiva-se um ano de grandes desafios”, com uma “conjuntura pouco favorável para a produção de carne de bovino, […]

Últimas

CRISPR | Investigadores estão a desenvolver alfaces resistentes ao calor

Na Califórnia, o calor é uma ameaça constante à produção de alfaces. E com o aumento da temperatura global devido às alterações climáticas, […]

Nacional

É preciso recuar a 2014 para encontrar um ano com tão poucos incêndios

Dos 7915 incêndios registados este ano, cerca 85% (6712) foram de pequenas dimensões – queimaram menos de um hectare; já 33 fogos queimaram áreas entre 100 e 1000 hectares

O verão está ameno e os incêndios, […]