Renovar, valorizar e reorganizar  a produção de leite

Renovar, valorizar e reorganizar a produção de leite

[Fonte: Voz do Campo]

A produção de leite, tal como a agricultura portuguesa em geral, é um setor envelhecido. São poucos os jovens dispostos a apostar no setor e muitas as dificuldades que encontram, ao nível dos apoios, dos licenciamentos e da disponibilidade das empresas compradoras para aumentar os contratos para níveis que viabilizem os projetos de investimento. Como agir para renovar a produção de leite? Como apoiar a instalação de jovens no setor de modo eficaz?

Jovens e menos jovens enfrentam depois um mercado já com 10 anos de preço baixo à produção, quase sempre abaixo do custo de produção, quase sempre abaixo da média europeia. Felizmente, na Europa também surgem notícias positivas e sinais de esperança. É o caso do “leite preço justo”, uma iniciativa com várias réplicas em expansão que vale a pena conhecer, porque permite aos consumidores com a sua escolha apoiarem um sistema de produção de leite “sustentável” para a economia dos produtores de leite e do meio rural. Fará sentido desenvolver esse caminho em Portugal? Teremos cooperativas e indústrias disponíveis?

Finalmente, não basta lutar por um preço justo, é preciso ser eficiente na aquisição dos fatores de produção. Como podem as cooperativas renovar-se, reorganizar-se e tornarem-se também elas competitivas para atuarem no mercado e fornecerem os fatores de produção a preços cada vez mais competitivos?

Estas questões são importantes para o futuro da produção de leite em Portugal. Vamos abordá-las no COLÓQUIO NACIONAL DO LEITE, uma organização da APROLEP e da AJADP que irá decorrer no auditório da Cooperativa Agrícola de Vila do Conde no próximo dia 23 de Novembro. Estão todos convidados!

Autora: Marisa Costa

Aprolep

Publicado na Voz do Campo n.º 220 (novembro 2018)

Comente este artigo

O artigo Renovar, valorizar e reorganizar a produção de leite foi publicado originalmente em Voz do Campo

Anterior Importância do Papel da Assistência Técnica PRODI e BIO na PAC - João Rodrigues
Próximo “À medida que a dieta alimentar vai evoluindo, as oportunidades chegam ao campo e os agricultores têm de estar preparados”

Artigos relacionados

Últimas

Jovem especializada em ciências forenses converte-se à enologia mantendo adega com 50 anos

Redação, 02 jun (Lusa) – Especializada em ciências forenses, mas convertida à enologia, Rita Tavares atravessa todas as semanas vários distritos e percorre 320 quilómetros para ajudar a alavancar o sonho do pai, uma empresa tradicional de vinhos que comemora 50 anos em 2018.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_4 span,#wpdevar_comment_4 iframe{width:100% !important;} […]

Notícias florestas

Observatório Independente critica planos florestais que ignoram lições de 2017

[Fonte: Gazeta Rural]
“Os planos que foram já objeto de discussão pública parecem ignorar as lições dos incêndios florestais ocorridos em 2017, bem como as recomendações expressas nos relatórios das comissões técnicas independentes”, critica o Observatório Técnico Independente, ressalvando que “constituem exceções a esta regra as regiões do Centro Litoral e Centro Interior”. […]

Sugeridas

Incêndios no Algarve – CONFAGRI monta estrutura de apoio aos agricultores atingidos

A CONFAGRI – Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas de Portugal e as suas Organizações associadas reúnem-se, amanhã, pelas 14H30, em Monchique, nas instalações do Balcão do Crédito Agrícola (Largo da Igreja, Monchique), para definirem uma estratégia de apoio à elaboração de Candidaturas das zonas afetadas pelos incêndios nos concelhos de Monchique, […]