Quinta da Alorna com vindima terminada e positiva

[Fonte: O Ribatejo]

A Quinta da Alorna, produtor de vinhos de Almeirim, refere que a vindima deste ano antevê a produção de vinhos de “excelência”, sejam tintos sejam brancos. Com 220 hectares de vinhas, a Quinta da Alorna iniciou este ano a campanha de vindimas há cerca de duas semanas, mais cedo do que o habitual, e concluiu cerca de quatro semanas mais cedo que o habitual, essencialmente, devido ao calor sentido no início da primavera, que despoletou mais cedo o processo vegetativo da videira. “As vinhas evoluíram para uma maturação perfeita reunindo as condições essenciais para que as uvas expressem as suas melhores características”, afirma Martta Reis Simões, enóloga da Quinta da Alorna. A vindima de 2017 vai ter à disposição uma seleção das uvas de 18 castas: 9 tintas – Touriga Nacional, Tinta Roriz, Cabernet Sauvignon, Syrah, Castelão, Trincadeira, Tinta Miúda, Alicante Bouschet e Touriga Franca); e 9 brancas (Arinto, Chardonnay, Fernão Pires, Verdelho, Marsanne, Alvarinho, Viognier, Sauvignon Blanc e Moscatel). Na adega da quinta tem havido um processo de experimentação com diferentes castas, técnicas de vinificação e de estágio em barrica e em cuba, assim como ao nível das técnicas de viticultura e estudo de solos.

“A produção mantém a senda ascendente há vários anos, sobretudo graças à expansão da marca além-fronteiras. Hoje mais de 46% do valor das nossas vendas destinam-se a 28 mercados externos, destacando-se Polónia, Inglaterra e Holanda, na Europa, bem como Brasil, China, EUA e Rússia nas restantes geografias onde operamos”, afirma Pedro Lufinha, CEO da Quinta da Alorna. A insígnia produz atualmente mais de 2 milhões de garrafas e mantém, através de uma gestão profissionalizada, a herança de D. Pedro de Almeida, I Marquês de Alorna, que construiu o palácio da propriedade em 1725.

“A vindima de 2017 promete ficar para a história como uma das mais ricas”, refere a enóloga da quinta

Comente este artigo

O artigo Quinta da Alorna com vindima terminada e positiva foi publicado originalmente em O Ribatejo

Anterior Guloso apresenta em Salvaterra novos produtos de tomate embalado a fresco
Próximo Titularidad Compartida: El Área de la Mujer de COAG exige a Gobierno y CCAA un impulso decisivo a la Ley

Artigos relacionados

Nacional

Câmara de Mação reclama Estado de Calamidade Pública

[Fonte: Correio da Manhã]

O presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela, quer ver reconhecido o Estado de Calamidade Pública no concelho onde o incêndio que lavra desde terça-feira está esta noite preocupante nas localidades de Ortiga e Vale de Abelha. […]

Últimas

Tragédia que envergonha

[Fonte: Correio da Manhã]

Nunca pensei que no meu País, no ano de 2017, fosse possível assistir à tragédia ocorrida em Pedrógão Grande. Todos os anos, assistimos, mais ou menos conformados, à tragédia dos incêndios. Mas nunca pensámos assistir a algo desta dimensão. […]

Nacional

Incêndios: Ministro da Agricultura defende que “é necessário agir muito” sobre criminosos

[Fonte: Correio da Manhã]

O ministro da Agricultura lamentou hoje a “multiplicidade inusitada de incêndios” em Portugal no último fim de semana e comentou que “é necessário agir muito sobre a componente criminal”, pois senão de nada serve o sistema de ordenamento. […]