Quinta da Alorna com vindima terminada e positiva

[Fonte: O Ribatejo]

A Quinta da Alorna, produtor de vinhos de Almeirim, refere que a vindima deste ano antevê a produção de vinhos de “excelência”, sejam tintos sejam brancos. Com 220 hectares de vinhas, a Quinta da Alorna iniciou este ano a campanha de vindimas há cerca de duas semanas, mais cedo do que o habitual, e concluiu cerca de quatro semanas mais cedo que o habitual, essencialmente, devido ao calor sentido no início da primavera, que despoletou mais cedo o processo vegetativo da videira. “As vinhas evoluíram para uma maturação perfeita reunindo as condições essenciais para que as uvas expressem as suas melhores características”, afirma Martta Reis Simões, enóloga da Quinta da Alorna. A vindima de 2017 vai ter à disposição uma seleção das uvas de 18 castas: 9 tintas – Touriga Nacional, Tinta Roriz, Cabernet Sauvignon, Syrah, Castelão, Trincadeira, Tinta Miúda, Alicante Bouschet e Touriga Franca); e 9 brancas (Arinto, Chardonnay, Fernão Pires, Verdelho, Marsanne, Alvarinho, Viognier, Sauvignon Blanc e Moscatel). Na adega da quinta tem havido um processo de experimentação com diferentes castas, técnicas de vinificação e de estágio em barrica e em cuba, assim como ao nível das técnicas de viticultura e estudo de solos.

“A produção mantém a senda ascendente há vários anos, sobretudo graças à expansão da marca além-fronteiras. Hoje mais de 46% do valor das nossas vendas destinam-se a 28 mercados externos, destacando-se Polónia, Inglaterra e Holanda, na Europa, bem como Brasil, China, EUA e Rússia nas restantes geografias onde operamos”, afirma Pedro Lufinha, CEO da Quinta da Alorna. A insígnia produz atualmente mais de 2 milhões de garrafas e mantém, através de uma gestão profissionalizada, a herança de D. Pedro de Almeida, I Marquês de Alorna, que construiu o palácio da propriedade em 1725.

“A vindima de 2017 promete ficar para a história como uma das mais ricas”, refere a enóloga da quinta

Comente este artigo

O artigo Quinta da Alorna com vindima terminada e positiva foi publicado originalmente em O Ribatejo

Anterior Guloso apresenta em Salvaterra novos produtos de tomate embalado a fresco
Próximo Titularidad Compartida: El Área de la Mujer de COAG exige a Gobierno y CCAA un impulso decisivo a la Ley

Artigos relacionados

Nacional

Reforma florestal avança com cadastro e adia travão ao eucalipto para fevereiro

[Fonte: Açoriano Oriental]

A reforma da floresta do atual Governo incluía 12 diplomas, dos quais dez já estão promulgados, um foi rejeitado na anterior sessão legislativa e outro foi aprovado na sexta-feira pela Assembleia da República.

Das 12 propostas do Governo, […]

Últimas

Stihl reuniu a sua rede na Batalha após mais um ano em grande 

[Fonte: Gazeta Rural]

Por ocasião do Expojardim na Batalha a Andreas Stihl, S. A. reuniu, como de costume, a sua rede de distribuidores para mais uma convenção anual.
Desta vez, como tem vindo a ser norma nos últimos anos, […]

Últimas

Incêndios: Fundão com 14 ME de prejuízo, rearborização da Gardunha deve custar sete milhões

[Fonte: Correio da Manhã]

Os prejuízos diretos do incêndio que afetou o Fundão, distrito de Castelo Branco, na semana passada, são de 14 milhões de euros e a necessária rearborização da Serra da Gardunha deve custar sete milhões de euros, informou hoje a autarquia. […]